Novavax: depois de 33 anos sem ter uma única vacina aprovada em seu currículo, volta ao mercado com uma “campanha de educação” vacinal- seu alvo? As crianças e os hesitantes.

Karina Michelin

Karina Michelin

Há menos de um ano, antes que a pandemia de Covid-19 devastasse o mundo, a Novavax estava enfrentando o “delisting” da Nasdaq ( aqui ) . A empresa farmacêutica havia investido centenas de milhões de dólares em pesquisa e desenvolvimento para vacinas – mas, após 33 anos, não tinha uma única vacina aprovada em seu currículo. 

Os investidores desprezaram a previsão. Em janeiro de 2020, os juros a descoberto atingiram 30%, de acordo com a S3 Analytics. Mesmo depois que a empresa começou a trabalhar em sua vacina Covid-19, os investidores continuaram a duvidar.

Ben Adams, da FiercePharma, marketing comercial para a indústria farmacêutica, acaba de publicar um artigo  anunciando que a Novavax lançou uma nova “campanha educativa” para sua vacina COVID-19, que deve obter uma autorização em breve dos Estados Unidos e da FDA  para uso emergencial. O que causa uma certa perplexidade aos especialistas – “Uma pequena empresa que estava prestes a fechar foi realmente capaz de jogar com os grandes ( aqui ) nesta corrida pela vacina contra a Covid? Parece a história da Cinderela“, disse Stacey Schultz-Cherry, especialista em doenças infecciosas do Hospital de Pesquisa Infantil de St Jude, no Tennessee.

Esta é uma “campanha de educação“, onde a palavra “educação” deve ser entendida como “marketing” ou “propaganda” – e tem como alvo os “hesitantes da vacina” e sobretudo as crianças, definido como mercado-alvo para a vacina COVID-19. (aqui).

Através deste comunicado de imprensa, a FiercePharma admite que as vacinas de mRNA COVID-19 são perigosas para as crianças, algo que a FDA e o CDC recusam a reconhecer, mas a Novavax se apresenta no mercado como uma melhor alternativa para crianças.

“Pfizer, Moderna e Johnson & Johnson foram as mais rápidas a trazer vacinas contra a COVID para os braços dos americanos, mas a Novavax espera adicionar outra vacina pandêmica ao mix dos EUA em breve – e está promovendo novas campanhas para divulgar.

O biofármaco, que tem aprovações e autorizações na Europa e em todo o mundo, está agora à beira de um potencial sinal verde nos EUA. E com o mercado vem a necessidade de marketing.

Mas como ainda não tem aprovação dos EUA – e não pode, sob a lei, anunciar para consumidores na Europa – a Novavax está lançando dois novos programas globais de educação sobre vacinas sem marca: “We Do Vaccines” e “Know Our Vax”. Eles foram projetados para oferecer informações sobre vacinas e “explicar o compromisso da Novavax com o desenvolvimento e inovação de vacinas”, disse a empresa à Fierce Pharma Marketing.

A principal mensagem da campanha é que “as pessoas devem ter escolha quando se trata de sua vacina”, disse Silvia Taylor, vice-presidente sênior de assuntos corporativos globais da Novavax, em entrevista. “Queremos que as pessoas entendam que temos essa vacina e que essa vacina é diferente”.

A Novavax sabe que tem uma forte concorrência – as vacinas da Pfizer e da Moderna dominam o mercado dos EUA – mas a pequena biotecnologia está de olho em alguns nichos de mercado: os “hesitantes de vacinas”, que podem desconfiar da mais nova tecnologia em vacinas de mRNA da Pfizer e Moderna, para crianças.

A Nuvaxovid aproveita a tecnologia mais antiga que tem sido usada em vacinas contra a gripe e outras há décadas. A vacina contém uma versão da proteína spike SARS-CoV-2 fabricada em laboratório, bem como um adjuvante, que é um ingrediente de reforço projetado para fortalecer as respostas imunes à vacina. As injeções da Pfizer e da Moderna obviamente não foram as duas únicas vacinas nos EUA: a alternativa de vacina de dose única da Johnson & Johnson também usa tecnologia de vacina mais antiga. Mas caiu em desuso em meio ao enfraquecimento da eficácia e grandes problemas de fabricação. Então, no final do ano passado, um painel dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças recomendou que ele fosse deixado de lado devido a sérias preocupações de segurança. A vacina COVID da AstraZeneca – que usa tecnologia de vacina mais tradicional – não foi aprovada nos EUA. Entra a Novavax, agora procurando posicionar sua vacina como uma alternativa de mRNA. As pessoas hesitantes em relação às vacinas podem não querer uma vacina de mRNA porque é uma tecnologia nova, sem anos de segurança comprovada por trás dela. Mas eles podem usar uma tecnologia mais antiga, “experimentada e testada”, como a Novavax coloca.

A Novavax também atende à população pediátrica. Há dúvidas sobre a eficácia das vacinas de mRNA em crianças mais novas. Há também preocupações de segurança, particularmente as taxas de miocardite em meninos e adolescentes, que parecem estar em maior risco, o que pode causar inflamação perigosa do coração.”

Silvia Taylor, vice-presidente sênior de assuntos corporativos globais da Novavax, acredita que Nuvaxovid pode ser uma escolha segura e eficaz para crianças e adolescentes fora do mRNA.

Em junho de 2013, a Novavax adquiriu a plataforma adjuvante Matrix-M com a compra da empresa sueca Isconova AB e renomeou sua nova subsidiária de Novavax AB. ( aqui )

Como uma empresa com um histórico de falência de 33 anos, mesmo depois de receber uma bolsa de pesquisa de US$ 89 milhões da Fundação Bill e Melinda Gates em 2015, e depois outros US$ 384 milhões da Coalition for Epidemic Preparedness Innovations em 2020 , que é sempre financiado por Bill Gates, chega ao ponto de apresentar sua primeira vacina para o “vírus” COVID-19?

Da mesma forma que a Pfizer e a Moderna conseguiram introduzir uma vacina de mRNA no mercado, após décadas de incapacidade de obter uma vacina de mRNA aprovada para HIV/AIDS:

Simples, peça ao governo do presidente Trump que declare uma “pandemia” para que o FDA possa começar a distribuir nos Estados Unidos através da Big Pharma essas vacinas que, em condições normais, nunca teriam recebido a aprovação do FDA sem o governo dos Estados Unidos além do próprio governo enchê-los de  dinheiro para mantê-los funcionando em estado de emergência.

Foi o que aconteceu em julho de 2020, quando a operação Warp Speed ​​de Trump deu à Novavax US$ 1,6 bilhões de dólares apesar de não terem produzido uma única vacina por mais de 30 anos. ( aqui )

Donald Trump foi simplesmente o fantoche que carimbou tudo isso, mas obviamente foram os megas bancos de Wall Street, liderados por Jamie Dimon e JPMorgan Chase ( aqui ), que se salvaram no final de 2019 criando o dinheiro necessário para que tudo isso acontecesse. ( aqui )

É possível que esses banqueiros e bilionários de Wall Street tivessem previsto tudo e escolhido o colega bilionário de Wall Street Donald Trump como presidente em 2016, provavelmente porque tinham influência sobre ele e podiam contar com ele para realizar seus planos. ( aqui )

Dr. Moncef Slaoui, Bill Gates, Dr. Anthony Fauci, Dra. Deborah Birx e diretor do CDC Robert Redfield têm uma longa história de colaboração e esforços para desenvolver uma vacina de mRNA contra o HIV/AIDS ( aqui ) . Trump deu trilhões de dólares à Big Pharma para desenvolver as vacinas contra o COVID-19, e quando isso acontece, o mercado financeiro através das empresas de investimento começam a comprar ações dessas empresas.

É exatamente o que está acontecendo com a Novavax, agora começamos a entender por que eles autorizaram a imprensa e a mídia a publicar notícias negativas sobre a vacina da Pfizer para crianças, eles admitiram recentemente que a vacina não funcionou para crianças de 5 a 11 anos. ( aqui ) ( aqui )

Essas empresas de investimento, lideradas pela Vanguard e Blackrock, provavelmente agora irão vender a maior parte de suas ações da Pfizer, se ainda não o fizeram, e começarão a investir suas fichas na Novavax.

Segundo Wall Street Journal aqui está quem são os donos da Novavax: (aqui )

Este manual funcionou tão bem para a Pfizer que obteve lucros recordes! Por que não fazê-lo novamente para outra empresa absolutamente incapaz de produzir uma vacina que exceda os padrões da FDA, visando a população que ainda não obteve nenhuma dose da vacina COVID-19: ou seja os “hesitantes” e as crianças.

Alguns grupos pró-vida alegam que o tecido fetal foi usado no desenvolvimento das vacinas mRNA, foi pensando nisso que a Novavax resolveu ativar seu grupo de marketing para conquistar a população cristã pró-vida.

A vacina Novavax recebeu recentemente autorização para uso no Canadá, e Tamara Ugolini, da Rebel News ( aqui ) , relatou recentemente sobre os esforços para descobrir em que se baseava essa autorização por meio de uma solicitação de acesso a informações, mas o documento de 8.000 páginas recebido foi praticamente inútil, pois teve muitas partes ofuscadas.

Através destas informações, está claro que nenhuma destas empresas estão preocupadas em saber se as vacinas são ou não – seguras e eficazes. A lição que aprendemos deste mercado é: o que conta é a ação de marketing para a venda do produto e o faturamento bilionário das empresas a curto prazo, quase sempre financiadas pelo governo, ou seja, pelo povo que por sua vez é o peão do tabuleiro que acaba pagando quase sempre também com a sua própria vida.

Gostou do conteúdo? Compartilhe:

2 comentários em “Novavax: depois de 33 anos sem ter uma única vacina aprovada em seu currículo, volta ao mercado com uma “campanha de educação” vacinal- seu alvo? As crianças e os hesitantes.”

  1. Excelente artigo! Entendi agora como o homem laranja está envolvido até o talo nesse negócio de “vacinas”. A coisa é suja e não tem nada a ver com saúde, mas o povo acredita que essas porcarias ajudaram muito na pandemia. Ajudaram os ricos a ficarem mais ricos, e a matarem os bestas que deram o bracinho pra isso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *