Itália: A partir de 1 de abril, adeus ao passaporte vacinal

Karina Michelin

Karina Michelin

Ontem à noite, Mario Draghi (primeiro Ministro-italiano)  através de uma coletiva de imprensa ( aqui )  anunciou as novas regras anti-Covid. Draghi trata somente de procrastinar, alongar, adiar uma liberdade  que ninguém mais acredita.

Pelo menos até 31 de dezembro, o governo tem a possibilidade de “adaptar asmedidas de contraste” à evolução da pandemia com o objetivo de preservar “a capacidade operacional necessária” de todas as estruturas criadas durante a emergência. Basicamente está escrito claramente no decreto aprovado ontem pelo Conselho de Ministros.

Ou seja, uma vez que o sistema foi criado, ele estará ativo e pronto a ser reestabelecido a qualquer momento – dependendo do comando politico. 

A novas regras para a liberdade temporária são –

A partir de 1 de abril, o passaporte vacinal não será  obrigatório para:

– bares e restaurantes ao ar livre

– transportes públicos locais ( carro, ônibus, bonde e metrô)

– aviões, trens, navios e teleféricos (a máscara FFP2 continua sendo obrigatória dentro destes transportes até 31 de maio)- 

-lojas e atividades comerciais

– repartições públicas, correios, bancos

– hotéis e alojamentos

– serviços pessoais (cabeleireiros, barbeiros, esteticistas)

– Esportes ao ar livre

– festas e feiras

– shows e festas ao ar livre

– Cerimônias Públicas

– estádio (máscara é obrigatória até 30 de abril).

A partir de 1 de maio, Dia do Trabalho, o passaporte vacinal não será obrigatório para:

– bares e restaurantes internos

– cinemas, teatros, salas de espetáculos (o uso da máscara FFP2 continua a ser obrigatória dentro destes ambientes até 31 de maio)

– exposições e museus

– ginásios, piscinas e desportos realizados no interior (também através dos balneários)

– Eventos desportivos

– termas

– centros culturais

– cursos de formação

– concursos públicos.

A partir de 1 de junho, o passaporte vacinal não será obrigatório para:

– shows internos

– universidade

Outras restrições

MÁSCARAS:

Por enquanto, a obrigação de usar máscara permanece em locais fechados que não sejam residências particulares. 

QUARENTA:

A intenção parece ser eliminar a quarentena de precaução caso entre em contato com uma pessoa infectada, mesmo que não esteja vacinado. Nas escolas não haverá mais diferença entre vacinados e não vacinados, mas alunos e professores positivos continuarão em casa até que tenham seus resultados negativo para o vírus. 

ESPORTE: 

A capacidade dos complexos esportivos  volta a 100% dos lugares disponíveis tanto ao ar livre como em ambientes fechados (que continua a ser obrigatório a utilização de máscara). Até as discotecas ao ar livre poderão funcionar a plena capacidade.

TRABALHO: 

O Green Pass para o trabalho continua sendo um paradoxo, os trabalhadores terão que apresentar o passaporte base, ou seja, sem obrigação de vacinação mas eles terão que se submeter a testes de PCR ou Antígeno a cada dois dias por conta própria. 

VIAGEM / TURISMO:

A Europa está caminhando para uma reabertura generalizada. 

Os turistas brasileiros foram liberados para entrar no País desde 01 de março – os vacinados devem mostrar o cartão de vacinação, já os não vacinados é necessário apresentar um teste de PCR ou antígeno negativo e ambos devem preencher o formulário “Passenger Locator Form”.

A partir de hoje, por exemplo, não haverá mais restrições às viagens ao Reino Unido, onde todas as medidas anti-Covid  terminarão esta noite.

Não será mais necessário: testes,  quarentenas, formulários de localização de passageiros independentemente do seu estado de vacinação.

Gostou do conteúdo? Compartilhe:

1 comentário em “Itália: A partir de 1 de abril, adeus ao passaporte vacinal”

  1. A partir de 1 de abril, cidadãos italianos maiores de 50 anos continuam obrigados a tonar a 3a. dose? Ou o Green Pass com 2 doses é suficiente?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *