ITÁLIA: Nos últimos 60 dias mais de 200 pessoas morreram de morte súbita principalmente jovens, saudáveis, vacinados e negativos ao COVID.

Karina Michelin

Karina Michelin

O líder italiano do Movimento dos Direitos Civis, Franco Corbelli, lançou o alarme no jornal “La verità” : as mortes súbitas vem afetando principalmente pessoas jovens, saudáveis, vacinados e negativos ao Covid. Corbelli pediu a suspensão imediata da vacinação para menores de 40 anos – e não é o único.

Nos últimos sessenta dias houve mais de 200 vítimas. Todas as pessoas, em sua maioria jovens, saudáveis vacinados e negativos para Covid. Muitos outros foram milagrosamente salvos graças ao uso de desfibriladores. Por isso pedimos que sejam instalados desfibriladores em todos os lugares, nas escolas, no local de trabalho, em meios de transporte. Em Nápoles recentemente, essas ferramentas que salvam vidas, os desfibriladores, já estão a bordo dos primeiros táxis, prontos, em caso de necessidade, para clientes e até passantes”.

Curiosamente Israel foi o primeiro país a vacinar toda a população no maior experimento de vacinas anti-covid no mundo, e foi também o primeiro país que começou a instalar desfibriladores por todos os cantos da cidade – o número de mortes por ataque cardíacos aumentou significativamente ( aqui ), mas a grande mídia ocultou estas informações da sociedade por medo que as pessoas não acatassem a vacinação ( aqui ). Será difícil manter esta narrativa, como se faz para ocultar tantos corpos jovens caindo como moscas? 

Segundo o relato de Franco Corbelli, os números são cada vez mais alarmantes: “no período da Páscoa, em apenas cinco dias, de 16 a 20 de abril, houve outras 40 mortes fulminantes. Os números estão começando a assustar. Na verdade, os números são preocupantes, e o problema das “mortes súbitas” está se consolidando cada vez mais.

Corbelli continua: “Além das milhares de reações adversas graves (de pessoas que depois de serem forçadas a vacinar, agora se vêem abandonadas pelo Estado, forçadas a tentar se curar de alguma forma e até mesmo às próprias custas), há agora centenas de vítimas, homens e mulheres, muitos meninos/meninas, muitos jovens, jovens de trinta anos, quarenta anos de idade, 50 anos de idade, todos saudáveis e vacinados, que continuam a morrer de repente. Os dados gerais dos últimos sessenta dias (mais de 200 mortes, entre o final de fevereiro e 20 de abril) são suficientes para dar uma idéia desta tragédia que hoje representa a verdadeira emergência nacional, exceto “La Verità” e muito poucos jornais online, sem grandes mídias, escritos e rádio e televisão, estão falando sobre isso. Pergunto: como podemos continuar ignorando e tentando esconder esse drama, que está causando centenas de mortes e dor devastadora e irreparável em tantas famílias?”

O líder do Movimento dos Direitos Civis continua denunciando a gravidade da situação, destacando as contradições do caso: “Todas essas vítimas, cujas histórias podem ser lidas em algum jornal local, online e nas redes sociais, têm um nome e um rosto, ao contrário das mortes de Covid das quais conhecemos apenas o número diário, mas não a idade, o estado anterior de saúde. Porque o Governo Draghi-Speranza e o ISS ( Instituto Superior de Saúde) não dizem se das (em média) 150 mortes por dia de Covid mesmo uma, enfatizo uma, é um jovem ou é apenas idosos, vacinados e talvez com patologias diferentes“. Corbelli continua sublinhando a dissonância na comunicação de dados: “Por que eles não esclarecem esse aspecto que ajudaria a entender tantas coisas? Mais uma vez eu não faço nenhuma hipótese ou correlação mas eu digo fortemente que você não pode e não deve morrer assim, colapsando repentinamente em jovem idade. É algo dramático. Temos que fazer de tudo  para tentar parar este massacre. Pessoas morrem na rua, enquanto trabalham, enquanto brincam ,enquanto praticam esportes, enquanto entram em uma loja, durante o sono, enquanto dirigem – também causando acidentes graves.

Corbelli indignado contou o caso mais recente: “Nos últimos dias, um pai que estava no carro com seu filho, percebeu que estava passando mal, para salvar a criança, ele só teve  tempo de parar o veículo na rodovia, onde foi encontrado pelos socorristas sem vida. Outras pessoas foram atingidas pelo mal subito nas estradas, terminando contra um poste, ou um muro  ou até mesmo fora da estrada perdendo suas vidas. Como isso é possível? O que está acontecendo? Por que não estamos dando respostas exaustivas e convincentes para essas dúvidas legítimas e angustiantes, em vez de continuar falando irresponsavelmente até mesmo da quarta dose ou vacinação de crianças! Por que vocês não fazem alguma coisa e diz aos italianos o que está acontecendo?” 

O deputado Francesco Sapia ( partido Alternativa) ,referindo-se à denúncia de Franco Cordelli (Direitos Civis) e ao artigo do jornal La Verità, pediu à Roberto Speranza ( Ministro da Saúde italiano) através de um comunicado que suspendesse temporariamente as vacinações até que haja elementos claros porque:  “a dimensão do fenômeno ultrapassa o caráter de evento contingente e levanta sérias questões que o ministério deve analisar do ponto de vista estatístico-epidemiológico, clínico e médico-legal; porque o fato parece desmentir  o que é afirmado pelo Istituto Superiore di Sanità, sobre a incidência de reações adversas à vacina, que teriam afetado menos de um em cada 1.000 indivíduos vacinados; mas sobretudo porque nenhuma investigação foi realizada para aceitar a real extensão do fenômeno”.

Segundo o deputado é oportuno que “ sejam adquiridos os relatórios de vacinação relativos aos 40 indivíduos falecidos, mas também as fichas de dados do Istat relativas às mortes, bem como o certificado de necropsia e os prontuários – em caso de óbitos no hospital. “ 

Outro deputado que comprou esta briga e vem tentando dar luz a esses casos é, Claudio Borghi ( partido Lega) que escreveu em seu twitter : “ Pedirei ao ISTAT que dê prioridade absoluta aos dados de mal súbitos. Não é possível ver estes casos todos os dias e ficar preso aos dados até 2020.” Em seguida publicou, mais um caso de um adolescente de 20 anos que morreu enquanto trabalhava. 

Os casos só aumentam e não é possível que os Ministérios da saúde, continuem calados em relação a este massacre de morte súbitas que vem acontecendo no país e no mundo – a única palavra que temos destes órgãos é que a vacina não tem nenhuma correlação com esse fenômeno, mas até hoje não vimos um estudo que traga esta afirmação de forma clara e decisiva, a não ser as “palavras dos especialistas”.

Gostou do conteúdo? Compartilhe:

7 comentários em “ITÁLIA: Nos últimos 60 dias mais de 200 pessoas morreram de morte súbita principalmente jovens, saudáveis, vacinados e negativos ao COVID.”

  1. Deixe-me ver se entendi: foram injetadas vevenosas vacinas em todos, e o protetor dos direitos civis pede são desfibriladores e interrupção de vacinas em menores de 40 anos??
    Será que sou louco, ou está na cara que o que se deve pedir é a execussão sumária de TODOS os envolvidos nessa pandemencia de focninheira lockdown e vaticinações, e não imbecilidades como esse asno (perdoem-me os asnos) advoga?
    Chegou a hora do povo acordar e entender que o “não matarás” é a mais imbecil proposta já feita, poios se não matamos o lixo, o dejeto, o perigoso eles irão fazer o que sabem fazer, lixeira, merda e destruição!
    ACORDA POVO ACÉFALO, SEM MATANÇA NÃO TEM MAIS JEITO, OS LIXOS NÃO IRÃO PARAR E LEIS DE PUNIÇÃO SÓ FARÃO COM QWUE CONTINUEM VIVOS SERES ABSOLUTAMENTE PERICULOSOS, SOCIOPATAS, PSICOPATAS E ASSASSINOS!
    É GUERRA POVÃO,OU VAMOS PARA CIMA OU ESTAMOS JÁ MORTOS!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *