Pular para o conteúdo
Pesquisar
Close this search box.

Estados Unidos: O CDC alterou os certificados de óbito de Minnesota para remover a “vacina COVID” como causa da morte

Karina Michelin

Karina Michelin

Alguém (que deve permanecer anônimo) conseguiu obter certidões de óbito de Minnesota para todas causas mortes de 2015 até o presente – o que proporcionou uma oportunidade para ver se o CDC é honesto sobre os números de mortes nos Estados Unidos. Sem surpresa nenhuma, comprovamos mais uma vez que o CDC não é.

Um indivíduo não identificado ( por razões óbvias) obteve recentemente todos os atestados de óbito no estado de Minnesota registrados de 2015 até o presente. Uma análise subsequente feita pelo Brownstone Institute ( aqui ), revelou que os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA falsificaram todos os atestados de óbito que rotularam as “vacinas” da COVID-19 como a causa oficial da morte.

“Em quase todos os atestados de óbito que identificam uma vacina covid como a causa da morte, o CDC cometeu fraude de dados ao não atribuir o código ICD 10 para efeitos colaterais da vacina às causas de morte listadas no atestado de óbito.”

As mortes por vacina de COVID raramente, ou nunca, são rotuladas como tal nos atestados de óbito oficiais porque a maioria dos hospitais em todo o país sabem rotulá-las sistematicamente como outra causa morte, para evitar culpar a Big Pharma. Alguns atestados foram preenchidos corretamente, porém, foram alterados pelo CDC – para apagar todas as evidências de que as vacinas eram culpadas.

Quando alguém morre, há um atestado de óbito que é preenchido para fins oficiais/legais. Os atestados de óbito contêm muitas informações (alguns estados incluem mais do que outros), incluindo as causas da morte (CoD).

A política oficial para certidões de óbito requer a entrada de certas informações, incluindo causas de morte ou CoD. Um CoD faz referência a quaisquer condições médicas subjacentes que são consideradas como tendo desempenhado qualquer tipo de papel na morte do falecido.

Para se qualificar como causas de morte, uma só condição precisa contribuir para o declínio médico do falecido de alguma forma, mas não precisa ser diretamente responsável pelo que quer que tenha matado a pessoa. Se alguém teve pressão alta e posteriormente sofreu um ataque cardíaco que levou a uma parada cardíaca que o matou, todas as três condições se qualificam como CoD. Por outro lado, a unha encravada desse infeliz não é a causa da morte, porque de forma alguma contribuiu para a morte deles.

O CDC publicou um guia sobre como preencher um CoD de acordo com os critérios acima. Ele instrui especificamente médicos a preencher a parte da descrição do texto, deixando a seção de código 10 da Classificação Internacional de Doenças (CID) vazia para o próprio CDC preencher.

Existem muitos códigos CID 10 diferentes no sistema que representam praticamente todas as possíveis causas de morte, incluindo um chamado T88.1 ( aqui ) que captura “Outras complicações após a imunização, não classificadas em outra parte.”

Este é um dos dois códigos ICD 10 para efeitos colaterais da vacina COVID, sendo o outro Y59.0 ( aqui ), que captura “vacinas virais”. (Existem outros códigos ICD 10 para várias complicações específicas ou efeitos colaterais de vacinas, mas o ponto é que existe um código ICD 10 para efeitos colaterais de vacinas.)

Sabemos pela varredura de dados que o CDC, que Brownstone Institute agora chama de “Centros de Ocultação de Dados“, usou seu algoritmo secreto, com uma pequena porcentagem de casos julgados pela equipe do CDC, para apagar todos esses links para “vacinas” de COVID dos atestados de óbito de Minnesota, alterando os códigos T88.1 e Y59.0 para outra coisa para desviar a causa da morte para outra coisa.

Existem três certidões de óbito em Minnesota que contêm T88.1 ou Y59.0. Um é para uma reação à vacina contra a gripe e – surpreendentemente – os outros dois são para uma vacina covid.

Nota - quando usado abaixo:

UCoD (Morte Causa Subjacente) refere-se à “doença ou lesão que iniciou a série de eventos que levaram diretamente à morte, ou às circunstâncias do acidente ou violência que produziram a lesão fatal”.

MCoD (Múltiplas Causas de Morte) refere-se à “causa imediata da morte e todas as outras condições intermediárias e contributivas listadas no atestado de óbito”. (todo o resto)

O primeiro atestado de óbito contém um ICD da vacina covid e parece que o CDC foi preso e não pôde evitar colocá-lo sem reescrever fundamentalmente o atestado de óbito, porque a complicação da vacina está inequivocamente listada como UCoD (este atestado de óbito está dizendo que a pessoa foi morta por um ataque cardíaco causado pela vacina covid poucos minutos após a injeção)

O segundo atestado de óbito que o CDC se dignou a atribuir a um ICD de vacina (e não apenas um, mas *AMBOS* códigos de ICD de vacina (!!)) parece que talvez um funcionário desonesto do CDC estivesse trabalhando naquele dia e o tivesse escondido:

De qualquer forma, como podemos ver claramente, tanto T88.1 quanto Y59.0 são realmente apropriados para quando uma vacina covid é listada como CoD. Assim, o CDC não pode alegar que não havia código oficial ICD 10 que pudesse ser usado para designar vacinas contra a covid (ou qualquer outra desculpa).

Com essa introdução, abaixo estão 7 atestados de óbito de Minnesota que identificam uma vacina covid como causa da morte, onde o CDC omitiu o código ICD 10 correspondente identificando um efeito colateral da vacina quando o CDC atribuiu códigos ICD aos atestados de óbito.

O primeiro atestado de óbito preenchido de forma fraudulenta oferece um detalhe crucial, destacando não apenas a fraude, mas também os padrões duplos para a atribuição de CoDs.

Este atestado de óbito identifica uma vacina contra a covid e a própria covid como CoDs contributivos (na última linha destacada em amarelo, vacina sublinhada em verde, covid em azul):

-“segunda dose da vacina contra a covid 10 horas antes da morte”

-“histórico de infecção por covid em maio de 2020” (cerca de 7-8 meses antes da morte)

Qualquer pessoa remotamente objetiva presumiria que, se uma condição que ocorreu 7 meses antes sem qualquer ligação clara com a morte real ainda atende ao padrão para ser identificada como um CoD, então certamente uma condição ou evento que ocorreu apenas DEZ HORAS antes da morte identificada pelo médico que preencheu o atestado de óbito merece inclusão como CoD.

No entanto, o CDC atribuiu U70.1 – “COVID-19, vírus identificado” – para covid, mas negligenciou em atribuir T88.1 ou Y59.0 para a vacina covid.

Um segundo ponto a destacar é que vemos que qualquer coisa mencionada como um CoD, mesmo no contexto de “história de” que (presumivelmente) foi resolvida há muito tempo, é um CoD legítimo no que diz respeito à atribuição de um código CID 10 e dados epidemiológicos.

Esta falecida sofreu uma parada cardíaca que a levou à morte *UM DIA* após ser vacinada.

Essa morte ocorreu em 24 de fevereiro de 2021 – bem antes de haver qualquer tipo de público consciente sobre os múltiplos mecanismos plausíveis pelos quais a vacina poderia causar danos ao coração. Portanto, para o autor, quem preencheu o atestado de óbito foi um sujeito corajoso disposto a identificar uma vacina covid em um atestado de óbito que continha seu nome.)

Este atestado de óbito não apenas identifica uma vacina contra a covid, mas explica que o falecido “ficou doente após a vacina” e morreu 4 dias depois de um ataque cardíaco. No entanto, nenhum T88.1 ou Y59.0 foi incluído nos atestados, assim como veremos a seguir.

Este atestado de óbito informa que a falecida recebeu sua segunda dose de Pfizer 18 dias antes de sua morte.

Aqui temos um homem de 65 anos que foi morto por um ataque cardíaco 12 dias após ser vacinado.

Este caso é especialmente digno de nota. Alguém envolvido com esta morte informou ao autor que a família teve que pressionar o legista para colocar o recente reforço de covid no atestado de óbito. Um membro da família também apresentou um relatório VAERS, depois que os médicos do paciente se recusaram a fazê-lo.

Além disso, o CDC aplicou o W34 como UCoD. Para que serve o W34?

“Descarga acidental e mau funcionamento de outras armas de fogo e revólveres não especificados.”

Não há menção de qualquer acidente com armas de fogo no atestado de óbito. Alguém teria que se perguntar como um código tão errôneo surgiu, especialmente em um atestado de óbito que contém outras travessuras do CID 10. É improvável que ‘Y590’ ou ‘T881’ sejam ‘errados’ ou algoritmicamente misturados com ‘W34’.

Talvez se não houvesse outros casos de omissão fraudulenta de códigos ICD de vacina em outros atestados de óbito, e o CDC não tivesse o hábito de atribuir rotineiramente U07.1 para uma infecção de Covid que foi resolvida há um ano, a falha em incluir T88.1 ou Y59.0 aqui podem ser dispensados.

No mínimo, este atestado de óbito deve conter T88.0 – ‘Infecção após a imunização’ – para documentar a infecção irruptiva (que é assunto para um artigo separado, pois parece ser bastante difundido).

Outro detalhe digno de nota aqui é a idade dos falecidos: todos são idosos, e a idade média dos falecidos é de 80 anos. Isso é importante destacar porque, enquanto os jovens se destacam “morrendo repentinamente”, tem havido muito menos atenção ou reconhecimento do impacto devastador da vacina covid sobre os idosos e frágeis, onde as mortes – mesmo aquelas que ocorrem nas proximidades da vacinação – são prontamente atribuídas a problemas de saúde anteriores.

Aaron Hertzberg, autor da análise ( aqui ), depois de trazer as evidências e os fatos finaliza: 

Finalmente, as ações do CDC questionam se o CDC é totalmente qualificado ou confiável o suficiente para ser o administrador dos dados epidemiológicos do país. O CDC gerencia muitos dos conjuntos de dados que sustentam campos inteiros de estudo. Se o CDC estiver disposto a alterar dados de forma fraudulenta (ou mesmo se o CDC for muito incompetente para evitar a corrupção de dados), todos os dados sob a égide do CDC são potencialmente suspeitos, especialmente se estiverem relacionados a uma questão política ou social controversa. As implicações disso são perturbadoras, para dizer o mínimo.

O mais perturbador disso tudo é o fato que, inúmeros países – incluindo o Brasil,  basearam-se nos dados do CDC para continuar a vacinação em massa, repetindo o mantra “ segura e eficaz”- quando na verdade não era. Esse é o crime efeito dominó, mais letal que tivemos nos últimos anos. 

Gostou do conteúdo? Compartilhe:

2 comentários em “Estados Unidos: O CDC alterou os certificados de óbito de Minnesota para remover a “vacina COVID” como causa da morte

  1. 74% of COVID Vaccine Autopsy Deaths Were Caused by the Vaccine, Finds Systematic Review

    Doctors Peter McCullough, Harvey Risch, Roger Hodkinson & colleagues searched for all published autopsy reports relating to COVID-19 vaccination up until May 18th, 2023.

    Out of 325 autopsy cases, they found “a total of 240 deaths (73.9%) were independently adjudicated as directly due to or significantly contributed to by COVID-19 vaccination.”

    The review was “literally flying off the shelf” until The Lancet suddenly pulled the paper off its pre-print server, saying the conclusions were not supported by the methodology.

    But “it’s a standard search methodology,” remarked Dr. @P_McCulloughMD. “And again, it’s autopsy. So there’s not too much to disagree with.”

  2. Caros, creio que o mais preocupante nessa matéria é o fato de que evidentemente SEMPRE houve essa política de acobertamento de causa blindador de farmáfias!
    As farmáfias não ganharam essa alcunha outro dia, é sabido que são MAFIAS há mais de 50 anos!
    Olha só o caso da talidomida, com mais de 60 anos, que na época foi alardeada a panaceia solucionardora de tudo!
    Olha o do anticoncepcional até hoje defendido e estimulado graças a uma agenda de desseletividade sexual (aquela que só gera lixos, aquela que gerou mileniais e geração z e seus consequentes). E hoje o que mais se ve são viados e travecas abominações nascidas exatamente de mulheres encharcadas de anticoncpecional, garantindo filhote anabolizado com hormônio feminino desde o útero, nascidos de mulheres que entendem suas vaginas play ground de fim de noitada de boteco!
    Os fármacos foram feitos para MATAR, só não entende isso os que entendem que suas saúdes são obrigação do plano de saúde, do analgésico, do antipirético…
    Observem a agenda do anticoncepcional, a mais formidável arma de destruição de uma espécie.
    Essa desgraça permitiu que a mulherada já desseletiva graças a agenda hollywoodiana, também judia, entendesse que já podia trepar com qualquer lixo sem dar satisfação a ninguém, sem perceber que na natureza NENHUMA FÊMEA SE PERMITE TOCAR POR ALGO MENOS QUE O ALFA! E quem garantiu essa aberração comportamental se não TODAS as agendas que culminaram no sec XX nas farmáfias, como religiões, inquisições, e toda sorte de desgraça imunda gerada nessa sociedade!?!
    E não há como dizer que os lixos que inventaram e alardearam o anticoncpecional não sabiam o que estavam fazendo!
    Eles sabiam que enfiar overdose de progesterona e estrógeno no corpo feminino não só desintegrava a fisiologia reprodutiva, mas evidentemente sabiam que garantia mulheres com hormônios enlouquecidos por conta de invasão alien dos mesmos hormônios que ela já produzia naturalmente.
    É proibido esteróide anabólico por conta do caos gerado pela ingestão hormonal, mas não é proibido o mais destruidor esteróide anabólico, aquele que destroí a descendencia, o maldito anticoncepcional???
    É muito ingenuo acreditar que anabólico em valete ser probido mas em mulher ser liberado e de todas as formas, inclusive com campanhas massívas midiáticas usando de vagabundas da pior qualidade glamourizadas só para ensinar menina nova a achar que ser vagabunda é o fino da bossa, não tem objetivos ocultos para lá de demoníacos!!!
    SÓ QUE ISSO ACONTECE DESDE 1961, A DATA QUE A DESGRAÇA ANTICONCEPCIONAL FOI CRIADA!
    Essa maldita vacina é apenas pontinha evaporante do iceberg!
    Esses lixos farmafiosos junto aos estados completamente criminais sempre souberam que estavam destruindo a humanidade de tal forma que em breve conseguiriam enfiar não só lixeiras nos corpos de todos, mas melhor que isso, garantiriam que os filhotes já nascidos na mais abjeta condição espiritofisiológica acabariam clamando inclusive por mutilações sobretudo genitais!
    Viados e travecas só nascem em algumas condições que não podem ser alteradas, mulher aceitar lixo sem qualidade alguma, se encharcando dessa desgraça anticoncepcional, e o mais macabro de todos, aceitando macho lixo e exigindo o estupro de seus óvulos para enfiar os ermerdatosóides do lixo valete.
    Mas se formos fazer um perfil comportamental encontramos SEMPRE a mesma agenda!
    E essa maldita agenda tem apenas um arquiteto, a desgraça judaica, e seus braços maçônicos, sempre seguindo o mesmplanta arquitetônica!
    As vacinas só aconteceram porque o povo já estava estúpido graças às agendas anteriores farmafiosas!
    A FRAUDE, A DISSIMULAÇÃO, A SABOTAGEM NÃO É DE HOJE, É DE SEMPRE!
    O ESTADO É UMA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Karina Michelin

Posts relacionados