Bruce Willis aos 67 anos foi diagnosticado com afasia e é obrigado a sair de cena

Karina Michelin

Karina Michelin

A notícia começou a girar em Hollywood há algumas semanas, a família diante de tantas especulações e pressões  foi forçada a vir à público para confirmar os rumores que não poderiam mais ser ignorados – Bruce Willis está doente. 

Uma das filhas do ator, Rumer Willis, anunciou que o pai decidiu se retirar do cinema porque ele foi afetado por uma doença chamada, afasia. 

A afasia é um distúrbio cognitivo e está entre os mais sérios, envolve uma incapacidade de se expressar ou entender a linguagem como resultado do detrimento das áreas do cérebro responsáveis por estas funções. Geralmente a doença se manifesta após um derrame ou um trauma na cabeça, mas também pode ser silencioso e se manifestar com o tempo como resultado de alguma doença neurodegenerativa.

Aqueles que sofrem de afasia não conseguem entender o que lhes é dito e, acima de tudo, lutam para juntar frases de completo significado. O indivíduo se esforça para ler, escrever e fazer cálculos, ou seja, todas aquelas funções que estão intimamente ligadas à linguagem. Cada paciente, dependendo do estado da doença, reage de forma diferente, a afasia pode ser curada ou regredir com fonoaudiologia e à intervenção médica imediata.

Por isso a carreira de Bruce infelizmente foi interrompida bruscamente. 

O anúncio oficial foi feito através de um post no Instagram, repostado por Demi Moore ex mulher de Bruce Willis e seus filhos:

“Para os incríveis apoiadores de Bruce, como família, queríamos partilhar que nosso amado Bruce teve problemas de saúde e foi diagnosticado recentemente com afasia, o que está afetando suas habilidades cognitivas. Como resultado, e com grande consideração, Bruce está se afastando da carreira que significou tanto para ele. Este é um momento realmente desafiador para nossa família e  agradecemos muito pelo seu contínuo amor, compaixão e apoio – estamos passando por isso com  união familiar e queríamos envolver seus fãs porque sabemos o quanto são importantes para ele, assim como ele para vocês. Como Bruce sempre diz: “Viva o momento” e juntos pretendemos fazer exatamente isso. 

Emma, Demi, Rumer, Scout, Tallulah, Mabel e Evelyn”.

Um estudo clínico publicado em 24 de junho de 2021, trouxe informações importantes sobre a doença e sua correlação com a vacina de mRNA depois da segunda dose. 

O estudo foi conduzido pelos pesquisadores Josef Finsterer e Maria Korn, relacionado a hemorragia cerebral (aqui). 

Eles escrevem: 

Embora raros, efeitos colaterais neurológicos das vacinas SARS-CoV-2 são cada vez mais relatadas. Mesmo que a primeira dose não seja complicada, a segunda dose pode ser complicada por reações adversas severas como no caso seguinte.

Caso clínico

Um homem de 52 anos desenvolveu dificuldades de leitura de início repentino e afasia de 7d após a segunda dose de uma vacina SARS-CoV-2 baseada em mRNA. Ele tinha um histórico anterior de infarto do miocárdio, pressão alta, hiperlipidemia e nefrite. A pressão arterial estava ligeiramente elevada no momento da internação. Exames de sangue revelaram d-dimero levemente elevado, pré-diabetes e hiperuricemia. A ressonância magnética revelou hemorragia intracerebral (ICB) no lobo temporal esquerdo. A afasia quase se resolveu completamente em poucos dias. Os valores da pressão arterial estavam normais durante a internação. Se houve uma relação causal entre o ICB e a vacinação, ela permanece especulativa, mas não pode ser definitivamente excluída.

Conclusões

Uma segunda dose de vacina sars-CoV-2 pode ser seguida por ICB. Embora a fisiopatologia da ICB permaneça inexplicável, uma relação causal entre ICB e vacinação não pode ser excluída. Os fatores de risco para a ICB devem ser acompanhados de perto em pacientes que recebem a vacina SARS-CoV-2.

Estudo publicado aqui: 

Os dados da VAERS também mostra como efeito adverso da vacina, a afasia com 3085 relatos até hoje. 

Gostou do conteúdo? Compartilhe:

2 comentários em “Bruce Willis aos 67 anos foi diagnosticado com afasia e é obrigado a sair de cena”

  1. Todos os cientistas e médicos que não foram comprados pelas bigpharmas, já alertavam sobre todos os problemas que as vacinas poderiam causar e outros muitos problemas desconhecidos que poderiam aparecer.
    Seria “teoría da conspiração”? Seríamos nós, despertos e negacionostas, pessoas burras, imbecilizadas, neuróticas ou algo do gênero????? Ou seríamos pessoas com muito bom senso, um pouco de inteligência e um pouco de cultura, conhecimento básico ??????
    Boa sorte prá quem tomou as picadinhas do mal, do capeta, da BESTA, DOS GLOBALISTAS, DO BILL GATES, DOS ROCKEFELLER, DOS ROTHSCHILD, DA PFIZER, DO CLAUS SCHUAB, DA OMS, DA RPCH, DOS POLÍTICOS E DOS LOBISTAS.
    PARABÉNS, ESPERO QUE DEUS OS AJUDE.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *