Pular para o conteúdo
Pesquisar
Close this search box.

Giorgia Meloni anuncia mudanças drásticas: Ciência não é religião chega de restrições e obrigações delirantes e destrutivas

Karina Michelin

Karina Michelin

É necessária uma mudança de rumo drástica após o passaporte de vacinação e várias obrigações. Chega de delírios autodestrutivos

A primeira-ministra Giorgia Meloni, anunciou em seu discurso de confiança na Câmara (26 de outubro), uma mudança de rumo decisiva, afirmando que a Itália não replicará o modelo restritivo contra a Covid-19 implantado pelo governo anterior, e também pediu maior clareza na gestão da crise pandêmica – a abertura de uma CPI.

Será criada uma comissão parlamentar de inquérito (CPI): para apurar a gestão da pandemia do governo passado, a confirmação veio do partido Fratelli d’italia. Dois projetos de lei nesse sentido já haviam sido apresentados pelos partidos Itália Viva e Lega já em 2021.

Giorgia Meloni pediu ao novo governo para confiar em evidências científicas, as palavras da primeira-ministra não deixaram dúvidas sobre a mudança drástica de rumo que pretende alcançar: “Reconhecemos o valor da ciência, é claro, é por isso que não a confundimos com religião. O que contestamos sobre as escolhas feitas pelos governos anteriores é que não havia evidências científicas por trás de algumas medidas. Não havia certeza de que as vacinas fossem boas para as crianças sobretudo de 12 anos, mas nós as vacinamos, quando todos estavam de acordo que o esporte era o melhor para elas, mas nós as impedimos de fazê-lo. Impedimos uma coisa sobre a qual haviamos certeza e forçamos outra em que não havia evidência científica”.

Palavras que, depois de quase três anos de opressão democrática, apoiadas por grande parte dos consórcios de mídias trouxeram um pouco de alívio, mas tudo o que aconteceu não será esquecido facilmente está gravado em nossa memória – ao menos daquelas pessoas que possuem uma. A população mundial sofreu na pele uma série de obrigações e restrições sem sentido, substancialmente baseadas em um dogma religioso, para trazer de volta um quadro de confiabilidade nos governos já podres, através de uma comunidade científica invisível, que só soube fazer uso político do vírus para obter mais poder.

Depois de quase 3 anos de histeria, distribuindo doses a go-go para uma população que ainda acredita na salvação de um vírus invisível e completamente tratável, apenas uma pessoa extremamente determinada e corajosa, à frente do executivo, poderia assumir a responsabilidade de pôr fim a uma ilusão autodestrutiva que durou muito além do imaginável. E Giorgia Meloni fez. 

Deve-se enfatizar que Meloni foi colocada em dúvida após sua vitória, muitos diziam que ela era a favor de todos os instrumentos usados de controle de massa, mas ela provou ter mais profundidade, entendimento e coragem do que seus antecessores, Mario Draghi e Giuseppe Conte. Com seu discurso forte, decisivo e liberal ela ganhou a confiança de muitos italianos que eram céticos à sua chegada ao poder.  

A maioria dos líderes mundiais não tem escrúpulos em não contar aos seus cidadãos a verdadeira história da vacina COVID mRNA, que começou a ser aplicada na população sem ser testada, que não bloqueava infecções, que causa efeitos adversos irreversíveis em muitas pessoas e que levou a morte milhares de crianças e jovens. As verdadeiras evidências científicas de base são essas, o resto é uma abominável chantagem emocional implantada na sociedade através desse dogma que sustentou um estado de emergência de saúde perene e criminoso.

Ainda não foi desvendada todas as camadas degradantes deste castelo de mentiras sobre o qual se sustentou um estado de emergência constante. A esquerda mundial, incluindo a grande mídia, parecem não se importar em seguir com suas narrativas mentirosas e criminosas, para eles o mais importante é falar de resistência e destruir todos os líderes que se opõe à suas cartilhas insanas. 

Giorgia Meloni, já no primeiro dia de trabalho está fazendo tremer Bruxelas – bater de frente com os senhores globalistas não será uma missão fácil. Mas, a primeira-ministra mulher de direita da história da República italiana deixou claro que não irá passar por cima dos direitos civis dos cidadãos em nome de um Dogma religioso, que quer se passar como evidência científica. Meloni foi direto ao ponto perigoso da lobby mundial, comprar essa briga é para poucos. Agora resta saber quanto tempo ela irá se manter no poder –

Gostou do conteúdo? Compartilhe:

7 comentários em “Giorgia Meloni anuncia mudanças drásticas: Ciência não é religião chega de restrições e obrigações delirantes e destrutivas”

  1. O texto é válido como esperança, mas na real é mais complicado, até porque quem vai julgar o estado é o próprio estado!!
    Povo desarmado é refém sempre e não cidadão, e a europa está desarmada!
    Acreditar que os agentes do estado, forjados pelo estado serão os algozes do estado é pedir demais do estado!
    O mesmo se aplica ao Brasil, alegam que o Bolso é solução sem entenderem que a solução passa pelo desmonte do estado e só depois o julgamento, que aí será IMPARCIAL, de outra forma sempre haverá vício redibitório nos processos!
    Estamos em uma situação semelhante à queda da bastilha, sendo que dessa vez é o povo contra o estado e não o deep states contra o estado monarca, que foi o caso da queda bastilhal, emplacada por judeus revolucionários exatamente nos exatos moldes dos judeus da revolução russa!

  2. Exatamente .A ciência é nada mais nada menos que uma reflexão humana que pode estar certa ou errada,no entanto a ciência não pode ser absolutista e contra a natureza como nos foi apresentada na farsa da pandemia

  3. Well, espero que agora o poveco tenha entendido que não existe solução política ou jurídica para o Brasil, a solução é MILITAR, e agora o tempo está bem curto, temos menos de sois meses para lotarmos completamente a frente dos quarteis.
    Em brasilia, o lixo governador, bandido raiz da máfia dos precatórios, não está deixando os caminhoneiros subirem para o QG do exército!
    Ou o povo enten de que tem que se unir aos caminhoneiros, ou se preparem para o inferno total!
    Já dizia o cristo: EU NÃO VIM PELA PAZ, EU VIM PELA ESPADA!
    SI VIS PACEM, PARA BELLUM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Karina Michelin

Posts relacionados