Pular para o conteúdo

Crianças transgender na Semana de moda de Nova York – uma propaganda que pode trazer duras consequências para crianças e adolescentes que mudam de sexo.

Karina Michelin

Karina Michelin

Na Semana de Moda de Nova York que acontecerá em setembro, não irá faltar crianças transgênero na passarela – a agenda progressista nunca deixa de surpreender.

Noella é a modelo transgênero mais jovem a pisar nas passarelas, começou a fazer sua transição aos 4 anos de idade ( aqui ), hoje com apenas 10 anos está bastante determinada em querer ser uma inspiração para as crianças : ” É bom que eu já esteja inspirando crianças trans a serem elas mesmas” -. ( aqui )

Seus pais, que apoiam Noella 100%, acreditam que ela ainda é muito jovem para passar por uma transição médica de sexo. Enquanto isso não acontece, eles permitem que ela se conscientize de sua identidade social, se comportando e se sentindo como uma criança.

O pai e a mãe, foram entrevistados pela revista Forbes em fevereiro de 2022 ( aqui ), se declararam super orgulhosos de ter uma filha que teve a coragem de fazer a transição antes deles. O pai de Noella revelou ser também transgender assim como sua esposa – “Noella foi o primeiro membro da família a fazer a transição”  – seu irmão deixou bem claro aos seus pais que ele nasceu menino e vai continuar sendo um menino. A romantização da agenda transgender é a clara mistificação da causa. 

Muito do que está por trás dessa máquina  progressista e ideológica provou ser inconsistente e fora da lógica na maioria dos casos. Com o passar do tempo, os danos causado por uma propaganda anti natural e controversa dos valores, certamente prejudica muito mais a estabilidade daqueles que são mais vulneráveis. Como sempre, as crianças.

Foi criado um movimento para atrair e envolver essa nova geração, chamado WOKE ( aqui ) -um termo político de origem afro-americana, que refere-se a uma percepção e consciência das questões relativas à justiça social e racial – em outras palavras, a nova versão do Black Lives Matter. O cavalo de batalha desta nova geração WOKE, estão os temas mais discutidos da agenda progressista : aborto, casamentos homossexuais o  cancelamento da cultura e o “transgenerismo” de menores – uma forma de incorporar  as crianças e adolescentes na máquina trituradora WOKE

Em 31 de março de 2021 foi publicado um artigo na revista PubMed ( aqui ) intitulado: “Uma série de casos de centro único de cirurgias de afirmação de gênero e a evolução de uma equipe especializada em anestesia” – um hospital pediátrico de Boston especializado em cirurgia de mudança de sexo nos conta como obter a equipe perfeita de anestesistas para pacientes tão pequenos. De fato, o abstrato revela:

“A maioria dos menores e jovens transgêneros que desejam se submeter à cirurgia de afirmação de gênero necessitam procurar especialistas afiliados a programas de afirmação de gênero em hospitais para adultos. Agora, eles têm um lugar também dedicado a eles que pode se tornar um modelo a seguir para outros centros, principalmente nas diretrizes de funcionamento”.

Os números mencionados no artigo são no mínimo preocupantes. Somente no triênio 2017-2020, foram realizadas durante o período de estudo, um total de 204 casos cirúrgicos de afirmação de gênero foram identificadas: 177 cirurgias torácicas- duplas mastectomias – e 27 cirurgias genitais em menores, estas últimas intervenções que o hospital de Boston se orgulha de poder realizar sob anestesia parcial, relatada no estudo. As características dos pacientes incluíram uma idade média de 18 anos, com a  maioria esmagadora dos pacientes (90,7%) identificando-se como homens trans. Noventa e cinco por cento dos pacientes que se apresentaram para cirurgias de mudança de sexo eram americanos saudáveis.

Talvez esses dados devam impor uma reflexão profunda na sociedade sobre o assunto, a ideologia está por trás deste plano perverso de destruir as famílias – a verdadeira base da sociedade. Nem sempre brincar de boneca signifique querer mudar de sexo, assim como se vestir com roupas do sexo oposto, ou quando uma menina decide pela cor azul e o menino pela cor rosa, ou quando um dia ela se sente mais menino e no outro mais menina. Esses não podem ser argumentos para iniciar uma transição sexual. 

Aqui estamos diante de uma “ciência” que mais se apressou em rotular, injetar hormônios e antecipar cirurgias irreversíveis em adolescentes, do que de uma ciência que queira saber ouvir pacientes e familiares. Ao longo do tempo, percebeu-se que investigar e compreender o mal-estar da criança e da família talvez seja o aspecto mais importante, e que isso não está necessariamente ligado apenas a um problema de identidade sexual. De fato, muitas crianças, tratadas de disforia, mais tarde se viram deprimidas ou simplesmente “neuro diversas” tendo que enfrentar caminhos de reabilitação ou apoio completamente diferentes.

Frequentemente nos Estados Unidos são administrados bloqueadores da puberdade em crianças diagnosticadas como tendo disforia de gênero, depois de terem ido à clínica apenas algumas vezes.E, como evidenciam os depoimentos, na maioria das vezes os pais eram quem mostravam o desejo de que seus filhos fossem entregues nas mãos da nova ciência liberal, libertando -os  de uma vez por todas do intolerável estigma social de terem nascido homem ou mulher.

O Reino Unido e a Suécia pioneira em condenar o conceito de sexo biológico, deram passos para trás. Em Londres a polêmica clínica de saúde pública de Tavistock – que permitia a mudança de gênero para menores, mesmo sem o consentimento dos pais ou juízes, mas apenas de médicos e pessoas diretamente envolvidas,  foi fechada depois de muita controvérsia ( aqui ). Uma investigação independente estabeleceu que os adolescentes que chegavam à clínica de Tavistock corriam “um risco considerável de problemas mentais” e que “a instalação não é uma solução segura a longo prazo”.

O hospital universitário sueco, o Karolinska em Estocolmo, também fez um mea culpa ( aqui ). Na pressa de concluir as transições de gênero, pais e pacientes menores de idade muitas vezes parecem não ter recebido as devidas e necessárias explicações da equipe médicas, sem contar que os tratamentos aos quais as crianças foram submetidas eram potencialmente prejudiciais.

É o caso de muitos que, por exemplo, fizeram a transição hormonal do sexo feminino para o masculino: a redução artificial e vertical do estrogênio causou danos ao esqueleto, osteoporose prematura e redução da densidade óssea. É bom lembrar a esse respeito que, embora não possamos falar de drogas experimentais, ainda é verdade que as moléculas usadas para os tratamentos são de uso off label, ou seja, nascem e são testadas para curar uma determinada coisa, mas depois os médicos as prescrevem e administram para tratar outra.

E agora, vem a pergunta que todos deveriam se fazer: Com qual base e com quais dados podemos ter tanta certeza de que uma criança de 8 anos pode ter consciência e maturidade para entender o que fazer com seu próprio corpo e com sua própria identidade?

Interromper o desenvolvimento de um pré-adolescente não significa apenas interromper essas características sexuais que se desenvolvem como resultado das tempestades hormonais naturais que cada um de nós enfrentou (e superou) em nossas vidas, mas também interromper essa maturação neuronal que é um prelúdio para o amadurecimento das vias cognitivas, que fazem de um homem ou de uma mulher quem são.

O dano, portanto, além de estritamente físico e psicológico, pode ser também classificado como “psicobiológico”, com todas as consequências onerosas.

Gostou do conteúdo? Compartilhe:

12 comentários em “Crianças transgender na Semana de moda de Nova York – uma propaganda que pode trazer duras consequências para crianças e adolescentes que mudam de sexo.”

  1. Acredito que tudo que vai contra a natureza se auto destroi,portanto todas as pessoas que querem mudar de sexo com certeza estarão se auto destruindo em todos os aspectos,fisicos,mentais,espirituais,profissionais,etc
    Da mesma forma que todas as pessoas que aderiram as crenças dos totalitarios de usarem fucinheira ,se injetarem,se isolarem ,pararem de trabalhar foram contra a natureza e estarão se auto destruindo

    1. Não sei se alguém já fez um estudo sério, mas talvez comparar a taxa de suicidios de 2 anos antes e 2 anos durante a fraudemia poderá corroborar com isso que escrevestes.

    2. Caro GIlberto, é fato, entretanto é fundamental entendermos que enquanto eles afundam o navio nos levam junto com eles!!!
      Temos que limpar o i-mundo, e isso só se faz na guerra!
      De outra forma a sanha suicida dos degenerados será ampla geral e irrestrita!
      Toda vez que um lixo está prestes a morrer, ele busca de todas as formas levar os outros junto!
      Todo viado/traveca/estuprador/pedófilo sabe que não presta, tanto é fato que seus corpos se recusam a agir normalmente de forma a fugirem da possibilidade perpetuativa, pois sabem visceralmente que não prestam e merecem somente a morte e nunca a perpetuação.
      Mas os cérebros dessas monstruosidades são de aliens e como tal pensam como aliens, aberrações mutantes, e daí, se infiltram e buscam emplacar a agenda de abominações.
      E mais, quando lixos adultos atacam crianças é fundamenal o engajamento de matança dos genitores!
      Estupradores de crianças são os donos dessa agenda e ela é viada, inclusive já citei o lixo judeu allen ginsberg como o criador da ideia gaypride, da bandeira arco-íris e da nambla, associação de pedófilos dos EUA!!!
      ESSES SERES TÊM QUE SER EXTERMINADOS, OU AS CRIANÇAS SERÃO EXTERMINADAS E TRANSFORMADAS EM ABOMINAÇÕES.
      TEMOS QUE COMEÇAR A CAÇADA ENQUANTO AINDA SOMOS MAIORIA, POIS GRAÇAS À PROMISCUIDADE FEMININA (não existe promiscuidade masculina, pois o macho foi construido para ser promíscuo, pois essa é a forma de disseminar sua genética) ESSAS BESTAS SERÃO A MAIORIA DOS NASCIDOS DAQUI PARA A FRENTE!
      Ou nós matamos esses lixos abomináveis, ou a espécie humana ACABOU!!!

  2. O que temos percebido nesse movimento de “normalização “ de transtornos de identidade é que a maioria que até pouco tempo era considerada normal, cada vez mais se sente acuada, anormal. Parece-nos que a exceção transforma-se em regra, a maioria exceção opressora. Os transtornos de gênero sempre existiram e devem ser respeitados, mas não há como submeter a maioria às necessidades destes; respeitá-los e apoia- los é necessário, mas colocá-los como norte é totalmente descabido, dado o risco de que diagnósticos errados em casos border-line possibilitem ações precipitadas de consequências irreparáveis.

    1. Claudio sarnento,
      Sua retórica é cheia de politicamente correto e estupidez em um mesmo pacote!
      Em primeiro lugar, vc criminosamente busca abrir uma janela de Overton aqui no debate, e isso decuparei!
      Nunca existiu e NUNCA irá existir transtornos de identidade, o que existe é histeria sistêmica, ou seja, pessoas abusadas ou degeneradas entram em processos sublimatórios em busca do conforto intelectual impossibilitado pela degeneração.
      Vários agentes exógenos são geradores de viadagem, a soja e seus fitoestrógenos, os bisfenois, estrogênicos sintéticos, junk food, e sobretudo o ANTICONCEPCIONAL, um coquetel maldito de progesterona e estrógeno que transforma no ventre materno filhotes em filhotas!
      Chego a desconfiar que vc é psiCANALHISTA, pois é esse tipo de escória que adora abrir janelas de Overton para emplacar suas taras e perturbações existenciais!
      Fique livre para retrucar, mas lembre-se, vou desmontar todas as suas falácias salafrárias travestidas de maduras e quilibradas!
      Como já deve ter percebido, será bastante difícil legitimar suas cretinisses comigo pronto a desmontar sua janelinha overtonica!
      Gente de sua laia eu caço e desnudo, para que o povo lapide sem dó!
      Gente de sua laia com sua ret[órica é absoluatemnte perigosa e aqui, enquanto eu estiver, vc não vai enganar ninguém com seu papinho safado politicamente correto!

  3. Não existe nada disso, mas pelo jeito vai existir. Isso é a janela de Overton para normalizar o que eles querem, criam narrativas e o povo cai e entra no debate inócuo, e assim vão se acostumando com a ideia a conta gotas no velho esquema do, com cuspe e com jeito…

    1. Caro Paulete, exatamente!
      Mandou bem, aliás, a janela de Overton é a janela de over tom, quando se impõe um ruido acima do tom, até que todos aceitem o ruido como som e dentro do tom!!
      Observo que antes a proposta de Overton era uma ideia, uma “fecosofia” ou até filosofia jogada na pauta, e hoje a coisa é diferente, as janelas de Overton são reais, físicas, são abominações construidas pelo sexo imundo praticado pelos mais lixos possível (umanos)!
      Essas janelas hoje em dia são defendidas não só pelos pais mas sobretudo pelas bestas abomináveis nascidas!
      É evidente que só existe uma solução para isso é ela passa pela matança!
      A janela de Overton que preconizo é a da lixívia total, abominada e temida por todos, mas fundamental de estar em foco pois a escapatória do que está vindo é na MATANÇA! Não existe formas de vivencia com essas monstruosidades.
      Observo que TODA NOVA ESPÉCIE BUSCA EXTERMINAR A ESPÉCIE ORIGINAL, POIS ESSA É CONCORRENTE NOS RECOURSOS NATURAIS E ARTIFICIAIS!
      E essas monstruosidades foram construidas de genes humanos e umanos, são abominações mutantes transgênicos híbridos assim como os judeus, entidades bestiais e matadoras de seres humanos que foram introduzidas na janela de Overton (Overton físico, real, e não apenas ideia) dentro da espécie humana!
      Como mostro, a própria ideia de janela de Overton é uma janela de Overton, pois a real janela não é feita de ideias, é forjada concretamente dentro do próprio núcleo familiar humano, graças ao sexo desseletivo!
      Permitir lixos gerados por mulheres desseletivas, que se deitam com lixos e tomam anticoncepcional é garantir as reais janelas de Overton!
      Sem guerra, sem matança, já era, as abominações já dominaram, inclusive com o recurso das leis, feitas por lixos gheradores de abominações!!!
      Quer salada de janelas de Overton mais dantesca que essa???

  4. Caros, mais uma vez me lembrei de lemingues em suas sagas suicidas!
    Esse pensamento é recorrente quando observo a dinâmica dessas abominações!
    Essas bestas, cientes de suas degenerações se dedicam a detonação via vida desregrada total!
    Sabem que não prestam, e buscam se matar, mas infelizmente, no meio do caminho, esses monstros querem afundar o máximo de pessoas em suas sanhas, algo como dizer: “até dentro de sua família nasce lixo como eu”
    Vem daí, a obseção desses monstros em degenerar crianças!
    Preciso dizer que qualquer mérdico que aceite fazer tal tipo de operação deve ser executado de forma VIOLENTA E EM PRAÇA PÚBLICA?
    Esses lixos, sofrem de degeneração sistêmica, e essa se manifesta até como variola do planeta dos macacos!
    Essa abominação está sendo útil para provar o que há muito afirmo: pederastas, fecalopatas, viados SÃO ESSENCIALMENTE PEDÓFILOS (ESTUPRADORES DE CRIANÇAS), pois para eles buraco fecal é órgão sexual, e ânus está maduro desde o mecônio!
    Crianças adotadas por essas abominações estão sendo as únicas exceções fora a viadaria de pegar essa varíola dos monos!
    O abjeto criador do gaypride e a bandeira arco-iris, o judeu allen ginsberg era viado e pedófilo, fundou a nambla, associação de pedófilos dos estados unidos!!!
    Esses seres precisam ser alijados da sociedade enquanto ainda dá tempo, daqui a pouco esses monstros serão maioria, pois são produzidos artificialmente pelo anticoncepcional e inseminação artificial!
    A sociedade tem duas opções: dar uma cambalhota em seu destino ou aceitar a própria extinção como destino certo!
    As soluções sem dúvida passam a parsecs de distância do politicamente correto!

  5. Caros, só um detalhe, estudem sobre fisiognomia e analisem o aspecto desse troço infantotraveca!
    Com o estudo fisiognomico terão uma ideia clara do que é esse monstrinho.
    Observem o aspecto doentio, psicótico dessa mini abominação?
    Passem a observar as entrelinhas fisionômicas, a forma, imagem das pessoas mostra o que elas são.
    Clarice Lispector tinha uma frase emblemática para entendermos isso: a partir de um certo momento da vida todos são responsáveis por suas próprias imagens!
    Uma criança já deformada dessa forma nos mostra uma mente forjada para a desgraça, para a iniquidade!!!
    Sem matarmos TODOS os envolvidos em agendas estupradoras/pedófilas ACABOU!

  6. Ronald "Ronnie" McCrea

    Assunto off topic :
    Pra quem esqueceu o que é a odebrecht :

    fonte : https://portalodia.com/noticias/politica/apelidos-de-politicos-na-odebrecht-quem-e-quem-296943.html

    observação 1 : os partidos e cargos desses politicos são da época em que essa lista foi divulgada.

    observação 2 : apelidos de politicos na odebrecht, hoje novanor.

    Abelha – Francisco Appio, ex-deputado estadual (PP-RS)
    Acelerado – Eduardo Siqueira Campos (DEM-TO)
    Aço – Wellington Magalhães, vereador (PTN-MG)
    Adoniran – Braz Antunes Mattos Neto, vereador (PSD-SP)
    Anão – Antonio Carlos Magalhães Neto, prefeito (DEM)
    Alba – Tiago Correia, vereador (PSD-BA)
    Alemão – Carlos Todeschini (PT-RS)
    Alemão – Valdir Raupp (PMDB-RO)
    Aliado ou Gremista – Marco Maia, deputado federal (PT-RS)
    Amante ou Coxa – Gleisi Hoffmann, senadora (PT-PR)
    Amarelou – Durval Amaral, presidente do Tribunal de Contas do Paraná (TCE-PR)
    Amigo – Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente (PT-SP)
    Amigo C – Paulo Câmara, vereador (PSDB-BA)
    Angorá, Primo, Bicuíra ou Fodão – Eliseu Padilha, ministro (PMDB-RS)
    Aquático – João Fischer (Fixinha), deputado estadual (PP-RS)
    Aracaju – Aloizio Mercadante (PT-SP)
    Asfalto – Jaime Martins, deputado federal (PSD-MG)
    Aspirina – Angela Amin, ex-prefeita (PP-SC)
    Atleta – Renan Calheiros (PMDB-AL)
    Atravessador – Alcebíades Sabino, ex-deputado estadual (PSC – RJ)
    Avião – Manuela D’Ávila, deputada federal (Pc do B-RS)
    Azeitona – José Fernando de Oliveira, ex-deputado (PV-MG)

    Babão – Iris Rezende, prefeito (PMDB-GO)
    Babel – Geddel Vieira Lima, ex-ministro (PMDB-BA)
    Babosa – Paulo Alexandre Barbosa, prefeito (PSDB-SP)
    Baianinho – Paulo Hartung, governador (PMDB-ES)
    Baixada – Manoel Neca (PP)
    Balzac – Yeda Crusius, deputada federal (PSDB-RS)
    Barão – Carlin Moura, ex-prefeito (PC do B-MG)
    Barbie ou Belo Horizonte – Marta Suplicy, senadora (PMDB-SP)
    Barrigudo – Fabio Ramalho, deputado federal (PMDB-MG)
    Batalha ou Chorão – Sérgio Guerra, ex-presidente do PSDB (PSDB-PE)
    Bateria – Maria do Carmo Lara Rezende, ex-prefeita (PT-MG)
    Belém ou M&M – Geraldo Alckmin, governador (PSDB-SP)
    Benzedor – João Paulo Papa, deputado federal (PSDB-SP)
    Bico – Geraldo Júnior, secretário municipal (SD-BA)
    Bitelo – Lúcio Vieira Lima, deputado federal (PMDB-BA)
    Biscoito – Sandro Mabel, ex-deputado federal (PR-GO)
    BMW ou Manso – Beto Mansur, deputado federal (PRB-SP)
    Boa Vista – Paulinho da Força, deputado (SD-SP)
    Boca mole – Heráclito Fortes, deputado federal (PSB)
    Bocão – Sandro Boka, ex-deputado (PMDB-RS)
    Boiadeiro – João Paulo Rillo, deputado estadual (PT-SP)
    Bolinha ou Pescador – Anthony Garotinho, ex-governador (PR-RJ)
    Bonitão ou Garanhão – Fabio Faria, deputado (PSD-RN)
    Bonitão, Pavão, Bonitinho, Velho, Casa de Doido – Julio Lopes, deputado federal (PP-RJ)
    Bonitinho – Robinson Faria, governador (PSD-RN)
    Boquinha – Sérgio Borges, ex-deputado (PMDB-ES)
    Botafogo ou Déspota – César Maia, ex-prefeito do Rio (DEM-RJ)
    Botafogo – Rodrigo Maia, presidente da Câmara (PMDB-RJ)
    Buzu – Henrique Carballal, vereador (PV-BA)
    Brasília – Fernando Capez, deputado estadual (PSDB-SP)
    Brigão, Piloto – Beto Richa, governador (PSDB-PR)
    Bronca – Paulo Rubem Santiago, ex-deputado (PSOL-PE)
    Bruto – Raul Jungmann, ministro (PPS-PE)

    Caim – Osmar Dias, ex-senador (PDT)
    Caju – Romero Jucá, senador (PMDB-RR)
    Candomblé – Edvaldo de Brito, vereador (PSD-BA)
    Campinas – Francisco Chagas, ex-vereador (PT-SP)
    Caldo – Blairo Maggi, ministro (PP-MT)
    Calvo – Pablito, ex-vereador (PSDB-MG)
    Campari – Gim Argello, ex-senador (PTB-DF)
    Canário – Esmael de Almeida, deputado estadual (PMDB-ES)
    Carajás – Arnaldo Jardim, secretário estadual (PPS-SP)
    Carmem – Fabiano Pereira, ex-deputado (PSB-RS)
    Caranguejo – Eduardo Cunha, ex-deputado federal (PMDB-RJ)
    Carrossel – Rosalba Ciarlini, prefeita (PP-RN)
    Castor – Rodrigo de Castro, deputado federal (PSDB-MG)
    Cavanhaque – Helder Barbalho, ministro (PMDB-PA)
    Centroavante – Renato Casagrande, ex-governador (PSB-ES)
    Cérebro – Mendes Ribeiro Filho, ex-deputado (PMDB-RS)
    Cerrado – Ciro Nogueira, senador (PP-PI)
    Chaveiro – José Chaves, ex-deputado (PTB-PE)
    Chefe Turco, Kibe ou Projeto – Gilberto Kassab, ministro (PSD-SP)
    Chorão – Pedro Eurico, secretário estadual (PSDB-PE)
    Cintinho – Mauro Lopes, deputado (PMDB-MG)
    Cobra – Wilma de Faria, vereadora (PT do B-RN)
    Colorido – Fábio Branco, secretário estadual (PMDB-RS)
    Coluna – Ana Amélia Lemos, senadora (PP-RS)
    Comprido – Agnelo Queiroz, ex-governador (PT-DF)
    Comuna – Daniel Almeida, deputado federal (PC do B-BA)
    Conquistador – Dalírio Beber, senador (PSDB-SC), e Napoleão Bernardes, prefeito de Blumenau (PSDB-SC)
    Contador – Paulo Ferreira, ex-tesoureiro do PT (PT-RS)
    Contas – Arselino Tatto, vereador (PT-SP)
    Correios – Alexandre Postal, deputado estadual (PMDB-RS)
    Crusoé – Robson de Lima Apolinário, ex-deputado suplente (PDT-SP)
    Cruzeiro do Sul – Barros Munhoz, deputado estadual (PSDB-SP)
    Curitiba – Roberto Freire, ministro (PPS-SP)

    Da Casa – Alberto Pinto Coelho, ex-governador (PP-MG)
    Da hora – Carlos Melles, deputado federal (DEM-PR)
    Decodificado – Luiz Carlos Hauly, deputado federal (PSDB/PR)
    Decrépito – Paes Landim, deputado federal (PTB-PI)
    Dengo – Antonio Anastasia, senador (PMDB-MG)
    Dentada – Gustavo Correa , deputado estadual (DEM-MG)
    Dentuço – Gustavo Fruet, ex-prefeito de Curitiba (PDT-PR)
    Desesperado – Germano Rigotto, ex-governador (PMDB-RS)
    Diamante – Paulo Abi Ackel, deputado federal (PSDB-MG)
    Disco – Luiz Paulo Correa da Costa, deputado estadual (PSDB-RJ)
    Diplomata – Hugo Napoleão, ex-governador (PSD-PI)
    Do reino – Fernando Pimentel, governador (PT-MG)
    Doutor – Juarez Amorim (PPS-MG)
    Drácula – Humberto Costa, senador (PT-PE)
    Duro – Ricardo Ferraço, senador (PSDB-ES)

    Educador – Paulo Henrique Lustosa, deputado federal (PP-CE)
    Ema – Lúdio Cabral, ex-vereador (PT-MT)
    Enteado – José Otávio Germano, deputado federal (PP-RS)
    Escuro – Marco Alba, prefeito (PMDB-RS)
    Escritor – José Sarney (PMDB), ex-presidente
    Esquálido – Edison Lobão, senador (PMDB-MA)
    Eva – Adão Vilaverde, deputado estadual (PT-RS)

    Fantasma – Ideli Salvatti, ex-ministra (PT-SC)
    Fazendão – Elbe Brandão, deputada estadual (PSDB-MG)
    Feia – Lídice da Mata, senadora (PSB-BA)
    Feio ou Lindinho – Lindbergh Farias, senador (PT-RJ)
    Ferrari ou Grisalhão – Delcídio do Amaral, ex-senador (MS)
    Filhinho ou Filinho ou Gordo – Dimas Fabiano Jr., deputado federal (PP-MG)
    Filho – Paulo Bornhausen, ex-deputado (PSB-SC)
    Filho do reino – Luciano Rezende, prefeito (PPS-ES)
    Filhote – Luiz Paulo Vellozo, ex-prefeito (PSDB-ES)
    Filósofo – Paulo Bernardo, ex-ministro
    Fino – Bruno Siqueira, prefeito (PMDB-MG)
    Flamengo – Adrian Mussi, ex-deputado federal (PMDB-RJ)
    Fodinha – Frederico Antunes, deputado estadual (PP-RS)
    Fósforo – Tarcísio Caixeta, vereador (PC do B-MG)
    Fragmentada – Weliton Prado, deputado federal (PMB-MG)
    Frances – Célio Moreira, deputado estadual (PSDB-MG)

    Garoto – Otávio Leite, deputado federal (PSDB-RJ)
    Goleiro – Paulo Magalhães Júnior (PV-BA)
    Gordo – Pimenta da Veiga (PSDB-MG) e Antonio Anastasia, senador (PSDB-MG)
    Grego – Jorge Piciani, deputado estadual (PMDB-RJ)
    Grenal – Valdir Andres, ex-prefeito (PP-RS)
    Gripe – Cesar Colnago, vice-governador (PSDB-ES)
    Gripado ou Pino – José Agripino, senador (DEM-RN)
    Grisalho – Arlindo Chinaglia, deputado (PT-SP)
    Grosseiro – Plauto Miró, deputado estadual (DEM-PR)
    Guarulhos – Carlos Zarattini, deputado federal (PT-SP)
    Guerrilheiro – José Dirceu, ex-ministro (PT), ou João Vaccari, ex-tesoureiro do PT

    Igreja – Bernardo Santana, deputado (PR-MG)
    Inca – Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados (DEM-RJ)
    Índio – Eunício de Oliveira, presidente do Senado (PMDB-CE)
    Inferno – Ronaldo Santini, deputado estadual (PTB-RS)
    Itabuna – Campos Machado, deputado estadual (PTB-SP)
    Itacaré – Celso Russomanno, deputado federal (PRB-SP)
    Italiano – Audifax Barcelos, prefeito (Rede-ES)
    Italiano – Antonio Palocci, ex-ministro (PT-SP)
    Itambé – Edinho Silva, prefeito (PT-SP)
    Itatiaia – José Maria Eymael (PSDC-SP)
    Itumbiara – Edson Aparecido dos Santos (PSDB-SP)

    Jacaré – Jader Barbalho, senador (PMDB-PA)
    Jangada – Luiz Carlos Busato, deputado federal (PTB-RS)
    João Pessoa – Vicentinho, deputado federal (PT-SP)
    Jogador – Márcio Reinaldo, prefeito (PP-MG)
    Jornalista – Elismar Prado, deputado estadual (PDT-MG)
    Jovem – Adolfo Viana, deputado estadual (PSDB-BA)
    Jujuba – Bruno Araújo, ministro (PSDB-PE)
    Justiça – Renan Calheiros, senador (PMDB-AL)

    Kimono – Artur Virgílio, prefeito (PSDB-AM)

    Lagarto ou Largato – Gil Pereira, deputado estadual (PP-MG)
    Lamborghini – Luiz Fernando T. Ferreira, deputado estadual (PT-SP)
    Lento – Garibaldi Alves, senador (PMDB-RN)
    Lima – Luiz Fernando Faria, deputado federal (PP-MG)
    Louro – João Alves Filho, ex-prefeito (DEM-SE)

    Macapá – Ricardo Montoro, ex-deputado estadual (PSDB-SP)
    Machado – Kátia Abreu, senadora (PMDB-TO)
    Maçaranduba – Ivo Cassol, senador (PP-RO)
    Magma – Guilherme Lacerda (PT-ES)
    Manaus – Aloysio Nunes, ministro (PSDB-SP)
    Masculina – Iriny Lopes, ex-deputada federal (PT-ES)
    Médico – Colbert Martins Filho, vice-prefeito (PMDB-BA)
    Menino da floresta – Tião Viana, senador (PT-AC)
    Mercedes – Edinho Bez, ex-deputado federal (PMDB-SC)
    Metalúrgico – Nilmário Miranda, secretário estadual (PT-MG)
    Mineirinho – Aécio Neves, senador (PSDB-MG)
    Misericórdia – Antônio de Brito, deputado federal (PSD-BA)
    Missa – José Carlos Aleluia, deputado federal (DEM-BA)
    Moleza – Jutahy Magalhães, deputado federal (PSDB-BA)
    Montanha – Marcos Montes, deputado federal (PSD-MG)
    Montanha – Paulo Pimenta, deputado federal (PT-RS)
    Musa – Ana Paula Lima, deputada estadual (PT-SC)
    Navalha – Arlete Magalhães, deputada estadual (PV-MG)
    Navalha – Wellington Magalhães, vereador (PTN-MG)
    Navegante – José Anibal, ex-senador (PSDB-SP)
    Natal – José Genoíno, ex-presidente do PT (PT-SP)
    Nervosinho – Eduardo Paes, ex-prefeito do Rio (PMDB-RJ)
    Neto – Eduardo Campos, ex-governador (PSB-PE)
    Novilho ou Charada – Fernando Bezerra, senador (PSB-PE)
    Novo – Max Filho, prefeito de Vila Velha (PSDB-ES)
    Nulo ou Duro – Ricardo Ferraço, senador (PSDB-ES)

    Oxigênio – Hudson Braga, secretário de obras do RJ

    Padre – Josenildo Sinésio, ex-vereador de Recife (SD-PE)
    Padrinho – Eduardo Azeredo, ex-governador de MG (PSDB-MG)
    Palmas – Vicente Candido, deputado (PT-SP)
    Parente – André Vargas, ex-deputado federal por SC (sem partido)
    Paris – Márcio França, vice-governador de SP (PSB-SP)
    Parreira – José Roberto Arruda, ex-governador (ex-DEM)
    Passadão ou Triângulo – Jorge Bittar, ex-deputado federal (PT-RJ)
    Patati ou Padeiro – Marconi Perillo, governador (PSDB-GO)
    Pavão ou Velhos – Julio Lopes, secretário de transportes (PP-RJ)
    Pavão – Ivar Pavan, ex-deputado estadual (PT-RS)
    Pelé – Nelson Pellegrino, deputado federal (PT-BA)
    Pequeno – Sérgio Aquino, candidato a prefeito de Santos (PMDB-SP)
    Persa – Ayrton Xerez, ex-deputado federal (DEM-RJ)
    Pescador – Zeca do PT, deputado federal (PT-MS)
    Polo – Jaques Wagner, ex-governador (PT-BA)
    Ponta Porã ou Corredor – Duarte Nogueira, prefeito (PSDB-SP)
    Pós-italiano ou Pós-itália – Guido Mantega, ex-ministro
    Poste – Marcio Lacerda, ex-prefeito (PSB-MG)
    Praia – Ademar Traiano, deputado estadual (PSDB-PR)
    Primo – Moreira Franco, ministro da secretaria geral da presidência (PMDB-RJ)
    Princesa – Cida Borghetti, vice-governadora do PR (PP-PR)
    Prosador – Cássio Cunha Lima, senador (PSDB-PB)
    Protegida – Lorena de Fátima Arrué Dias, candidata (PSDB-RS)
    Proximus – Sérgio Cabral, ex-governador do RJ (PMDB-RJ)
    Proximus – Luiz Fernando Pezão, governador do RJ (PMDB-RJ)

    Rasputinzinho – Bernardo Ariston, ex-deputado federal (PMDB-RJ)
    Ribeirão Preto – Roberto Massafera, deputado estadual (PSDB-SP)
    Rio – Marcelo Nilo, deputado estadual (PSL-BA)
    Roberval Taylor – Mário Kertesz, ex-prefeito (PMDB)
    Roxinho – Fernando Collor, senador (PTC-AL)

    Sábado – Domingos Sávio, deputado estadual (PSDB-MG)
    Santo André – João Paulo Cunha, ex-deputado (PT-SP)
    Sapato – Alexandre Passos, ex-presidente da Câmara de Vitória (PT-ES)
    Segundo – Juarez Amorim (PPS-MG)
    Silo – Alexandre Silveira, secretário estadual de saúde (PSD-MG)
    Solução – Maria do Rosário, deputada federal (PT-RS)
    Soneca – Waldir Pires, (PT-BA)
    Suíça – Rodrigo Garcia (DEM-SP)

    Teco – Tico Lacerda (PDT-SC)
    Timão – Andrés Sanchez, deputado federal (PT-SP)
    Tio – Gustavo Valadares, deputado estadual (PSDB-MG)
    Todo Feio e Cunhado – Inaldo Leitão (sem partido)
    Trincaferro – Beto Albuquerque, deputado federal (PSB-RS)
    Tuca – Arthur Maia, deputado federal (PPS-BA)

    Vaqueiro – Ronaldo Caiado, senador (DEM-GO)
    Verdinho – André Correa, deputado estadual (PSD/RJ)
    Viagra – Jarbas Vasconcelos, deputado federal (PMDB-PE)
    Vizinho – José Serra, senador (PSDB-SP)

    Wanda – Antonio Andrade, vice-governador (PMDB-MG)

    Zagueiro – Júlio Delgado, deputado federal (PSB-MG)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *