Ativistas italianos criam um novo modo de conscientizar as pessoas para o tratamento imediato

Karina Michelin

Karina Michelin

A vacina é a única solução. Mentira! O Covid tem tratamento, informe-se de verdade

A batalha entre os médicos e cientistas para rever os protocolos de tratamento contra o COVID-19 ganhou também o apoio de um grupo de ativistas. Milhares de médicos ao redor do mundo aprenderam e entenderam como tratar a SARS COVID-2, doença causada pelo vírus COVID-19. Estes médicos vêm chamando à atenção dos governos de todo o mundo desde o início desta pandemia, para que  as diretrizes de tratamento sejam atualizadas. Em outras palavras: que as pessoas passem a ter o direito de serem tratadas imediatamente após o primeiro sintoma.

Depois de inúmeras tentativas e movimentações conscientes, os governos continuam ignorando médicos, cientistas, pacientes e todos os estudos e evidências científicas apresentados. Além disso foi imposto à população a vacina, como única forma de prevenção e salvação. 

O paradoxo deste conflito é que a vacina não possui dados suficientes para se ter tantas certezas sobre essa audaciosa implementação em massa. O que estamos vendo são pessoas que continuam a ficar doentes mesmo com as doses da vacina. 

A única maneira de sairmos deste pesadelo seria a combinação de tratamentos, direcionado a cada indivíduo. As pessoas que adoecem tem que ter a segurança que um médico irá tratá-la de acordo com sua experiência e consciência, sem correr riscos de colocar suas carreiras em risco por serem considerados charlatões e médicos que agem fora do sistema dos protocolos governativos completamente desatualizados e tendenciosos. 

Os riscos associados a vacinação em massa existe, e é alto, assim como o risco de contrair o vírus e não ser tratado da maneira correta desde os primeiros dias do sintoma. A coerência deve existir. À esses que ao invés de ridicularizar e demonizar as pessoas que abrem este debate e colocam em evidência o tema do tratamento precoce, deveriam explicar a população que entre a saturação de 90 e a internação hospitalar, existe todo um manejo domiciliar do covid que em 18 meses ainda não o tornaram possível e que com ele milhares de vidas poderiam ter sido salvas. 

Cada vez mais, pessoas estão despertando e compreendendo que o único modo de sairmos desta situação catastrófica imposta pelos catastrofistas, é de se unir às pessoas que estão optando por serem Pró- Humanos. Os grupos estão crescendo a cada dia, os movimentos populares se tornam um ato frequente e indispensável para sobreviver a essas imposições. 

Os ativistas buscam conscientizar as pessoas sobre os seus direitos constitucionais, direitos estes esquecidos através do medo e o desespero de não saber o que fazer. 

Em um desses cartazes sobre o Green pass eles recordam as pessoas sobre uma decisão histórica do Tribunal Constitucional:

Se houver risco, não pode haver obrigação ou chantagem

“Ninguém pode ser chamado a sacrificar sua saúde pela dos outros, mesmo que todos fossem os outros.”

(julgamento nº 118 de 1996).

Os ativistas estão arrecadando fundos através de doações voluntárias e estão exibindo esses outdoors intinerantes  em várias cidades da região Lombardia.

Uma forma criativa de levar argumentos e temas que foram obscurecidos pela grande mídia para toda a população. As pessoas entenderam que o resta é um despertar o outro, sem cessar.

Não acontece. Mas e se acontece? A roleta da má-sorte. O COVID tem tratamento, antes de se arriscar informe-se de verdade.

Gostou do conteúdo? Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

9 comentários em “Ativistas italianos criam um novo modo de conscientizar as pessoas para o tratamento imediato”

  1. Cada dia que passa, ficamos sabendo de casos de pessoas que tomam a vacina e acabam morrendo, sem nunca ter apresentado nemhum problema de saúde, é assustador, querem nos obrigar a tomar algo que além de não impedir a contaminação, pode nos matar iu deixar sequelas. É uma situação desesperadora. Autoridades que deveriam nos garantir o direito de escolha, estão nos obrigando.

  2. Olá,

    Excelente artigo, precisamos de ajuda e já sou uma vítima das obrigatoriedade deste experimento, a empresa em que iniciei minha jornada de trabalho me demitiu por não ter aceitado participar como voluntário deste experimento das vacinas Covid19.
    Empresas privadas já adotam a obrigatoriedade de um passaporte sanitário.
    Algo precisa ser feito, mas a resposta é muito lenta comparada com as ações contra a nossa liberdade.

    1. Excelente comentário seu Diego.Eu jamais vou participar desse experimento,pode me custar qualquer sacrifício, não me importo. Não vou jamais comprometer minha saúde a troco dos interesses alheios

    2. Diego, estou passando por isso. Ainda não fui demitida, mas constantemente sou ameaçada. Estou deprimida e não sei o que fazer. Tenho certeza de que Covid tem cura e não tenho certeza da segurança das vacinas. Porquê ser obrigada a me inocular com uma substância que poderá ser danosa ao meu organismo. Uma substância que é experimental? Acho que demitir por conta de não se vacinar é uma afronta e uma covardia.

  3. Excelente iniciativa! Uma vez que os meios eletrônicos se tornaram cada vez menos acessíveis para dar informação verdadeira à massa da população, temos que nos unir e reinventar outros meios.
    Parabéns!!!

    1. Maria Celia Goncalves Ferrarez

      Os governantes e médicos precisam aceitar o tratamento precoce ou imediato.
      É o que está salvando Vidas . Minha nora é médica e receita para os pacientes e familiares .Todos fizeram tratamento em casa e se curaram.

  4. Na verdade fica óbvio para qualquer pessoa de bom senso que existe uma forte manipulação dos proprietários em função dessa pseudoverdade é só isso. Todos eles tomam IVERMECTINA. São inteligentee.

  5. Elizabeth da Rocha Batista

    Amei este artigo! Como eu queria que no Brasil mais pessoas estivessem despertas para o que está ocorrendo e colocassem a boca no trombone como você!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *