Pular para o conteúdo
Pesquisar
Close this search box.

Vice-presidente do Parlamento Alemão pede autópsias para todos que morrerem após a vacina

Karina Michelin

Karina Michelin

Em entrevista publicada nesta terça-feira, 13 de dezembro, pelo jornal alemão  “Welt“ reproduzida por vários sites de notícias alemães, o vice-presidente do Bundestag e vice-presidente do partido liberal-democrático FDP, Wolfgang Kubicki pediu autópsias imediatas para todos aqueles que morrerem logo após a vacinação Covid-19 ( aqui ).

Estamos falando de um número relevante que torna necessário abordar esse problema sistematicamente, as autoridades de saúde deveriam realizar “regularmente” autópsias a todas as pessoas que faleceram até duas semanas após a vacinação: Isso também faz sentido porque a aprovação condicional destas vacinas decorreu sob enorme pressão de tempo” – disse Kubicki a Tim Rohn ( jornalista investigativo – Welt)

Kubicki refere-se a um estudo publicado recentemente por Peter Schirmacher, patologista-chefe do Heidelberg University Hospital que traz o novo relatório sobre mortes súbitas relacionadas a vacinação (aqui) . Schirmacher e sua equipe descobriram que, em 30% a 40% das pessoas examinadas que morreram logo após a vacinação – provavelmente e possivelmente a causa da morte foi a própria vacina.

Tino Sorge (Partido Democrata Cristão – CDU), porta-voz da política de saúde de seu partido no Bundestag, disse ao WELT: “Dois anos após as primeiras vacinações contra a covid, chegou a hora de uma abordagem mais aberta aos efeitos colaterais e os danos da vacinação. O estudo (de Peter Schirmacher) é preocupante, até porque mostra o quão pouco sabemos sobre os riscos das vacinas mesmo passados ​​dois anos”.

Segundo o político da CDU, a pesquisa e o recolhimento de dados devem agora ser feitos a todo o vapor: “ainda faltam dados confiáveis ​​e significativos. Os resultados são de extrema importância para a avaliação da relação risco-benefício. Para esse fim, o Instituto Paul Ehrlich deve ser fortalecido, os dados melhor utilizados e os procedimentos de relatórios significativamente simplificados.”

O patologista Schirmacher pediu que mais pesquisas fossem realizadas sobre o assunto sobre as lesões causadas por vacinas. “Existem questões importantes sem resposta que devem ser esclarecidas por meio do registro abrangente de todos os efeitos indesejáveis ​​ou como parte de novas pesquisas no sentido de melhorar a vacinação, indicação de vacinação e proteção dos cidadãos”, diz Schirmacher:

Existem fatores genéticos ou algumas doenças pré – existentes, por exemplo, doenças autoimunes – que predispõem a graves consequências pela vacinação? As consequências da vacinação dependem da vacina, mas quais características e componentes da vacina a determinam? Certos tipos de aplicações desempenham um papel?

Por exemplo, existem hipóteses de que um erro acidental na injeção também pode desempenhar um papel em graves efeitos colaterais da vacinação, como miocardite. Investigações como as da Universidade de Heidelberg são apenas “o começo”. A atual recomendação de vacinação é “muito ampla”, reiterou Schirmacher.

Nos últimos dias, Wolfgang Kubicki acusou o ministro da Saúde, Karl Lauterbach, de não ter o controle de seu departamento e que agora é odiado até mesmo por seus companheiros de partido. “Não espero que Lauterbach permaneça no cargo de ministro da saúde durante toda a legislatura”, disse Kubicki na segunda-feira, 5 de dezembro.

Segundo Kubicki, “o próprio SPD (o partido social-democrata majoritário) está farto de Lauterbach“. O vice-líder do FDP falou em “frustração” entre os colaboradores do ministro: “Lauterbach está atolado“, disse Kubicki, “não é capaz de dirigir o ministério“.

O ministro da Saúde da Baviera, Klaus Holetschek (do partido CSU), também criticou duramente Lauterbach, convidando-o a abandonar a tendência de preferir a imposição de proibições na gestão da pandemia e, em particular, no debate sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras nos transportes de longas distâncias.

O ministro Lauterbach, que desde o início sempre defendeu uma campanha nacional urgente, admitiu há alguns meses, ao contrário de seus outros colegas europeus, as possíveis mortes pela vacina contra a covid e declarou publicamente que havia retirado a vacina AstraZeneca do mercado por estar ligada a casos de trombose.

Em um vídeo postado nas redes sociais no último dia 16 de junho 2022, o Ministro Karl Lauterbach responde a perguntas e diz: “Em casos muito raros, depois da vacinação podem ocorrer efeitos colaterais relevantes.”

clique para assistir ao video

Pode ocorrer efeitos colaterais após a vacinação da Covid?

“Em suma, esses efeitos colaterais são muito raros, especialmente os graves. Além disso, não existem vacinas que tenham sido estudadas tão bem em termos de efeitos colaterais quanto as vacinas contra a Covid”.

Qual é o risco de morrer por causa da vacinação?

“O risco de morrer por causa da vacinação é muito baixo. Portanto, há efeitos colaterais muito graves. Às vezes, por exemplo, pode ocorrer trombose cerebral, que pode ser fatal, mas é muito rara. Na verdade, menos de uma em 25.000 pessoas desenvolve complicações. E em uma pequena porcentagem, a complicação é fatal. As chances de morrer de Covid são muito, muito, muito maiores.”

O que é a Síndrome Pós-Vacinal?

“A síndrome pós-vacinação é a síndrome na qual, após a vacinação, as pessoas não conseguem se concentrar como antes, ou na qual ocorrem efeitos colaterais. Uma espécie de [síndrome] pós-Covid. No entanto, é mais raro, muito mais raro e também menos grave. O assunto deve ser levado a sério, está sendo investigado, não pode ser varrido para debaixo do tapete. Mas não é comparável à gravidade da síndrome pós-Covid”.

O que devo fazer se sentir efeitos colaterais ou síndrome pós-vacinal após a vacinação?

“Se pensa que tem estes sintomas, deve contatar o seu médico de família. O médico relatará os sintomas ao Instituto Paul Ehrlich, para que eles possam ter uma visão geral. E além disso, o tratamento é discutido com o médico.”

O que a política faz para monitorar os efeitos colaterais e alertar, se necessário?

“Se houver efeitos colaterais, como por exemplo no caso da Astrazeneca, quando encontramos trombose cerebral venosos, demos a informação sobre isso. Conversamos com os médicos. Portanto, mudamos o processo de vacinação para que essa [marca] não fosse mais usada para aqueles com risco particularmente alto. E agora não usamos mais essa vacina. Já estamos reagindo. Se encontrarmos algum problema com a vacinação, ele é corrigido e a vacinação é ajustada. As vacinas que não são boas não são mais usadas”.

Gostou do conteúdo? Compartilhe:

3 comentários em “Vice-presidente do Parlamento Alemão pede autópsias para todos que morrerem após a vacina”

  1. Como serão punidos todos os criminosos politicos que exigiram a vacinação.Quem os punira ??? A justiça esta elameada até o ultimo fio de cabelo,…E quem punira essa justiça???

  2. Chega com 2 anos de atraso pois os venenos começaram a ser aplicados em dez/2020 aos idosos. Ele é idoso, tomou? Nào! Só o povo simples foi enganado! Vai dar em nada, quem morreu já perdeu a vida! Enquanto a Alemanha estiver mergulhada nesta cortina de fumaça, eles estarão aplicando a etapa seguinte do dinheiro digital e a marca na mão (“evitar fraudes”, dirão) para comprar ou vender.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Karina Michelin

Posts relacionados