Pular para o conteúdo

FLÓRIDA: será o primeiro estado a contraindicar a vacina anti-Covid19 para crianças saudáveis

Karina Michelin

Karina Michelin

Na última segunda-feira, 7 de março, autoridades da Flórida se reuniram em uma mesa redonda para discutir sobre a eficácia e riscos da vacina anti-covid 19 em crianças saudáveis, baseado nos últimos estudos publicados. 

Uma mesa redonda de 90 minutos organizada pelo Governador Ron DeSantis, trouxe médicos, cientistas e pesquisadores para discutir a vacinação infantil, depois de três estudos controversos ( aqui ) que questionavam a eficácia e segurança da vacina. Shveta Raju, M.D., MBA; Dr. Joseph Fraiman; Dra. Sunetra Gupta, Dr. Robert Mallone Ph.D, Dr. Martin Kulldorff, Ph.D, Dr. Joseph Ladapo, Dra. Tracy Hoeg foram alguns dos nomes que palestraram no evento. ( aqui )

A crítica destes profissionais sobre as políticas adotadas no enfrentamento do vírus foram direcionadas ao CDC e as políticas governamentais. Além de serem contrários a vacinação infantil, eles também criticaram os mandados de uso de máscaras e lockdowns, alegando serem ineficazes e prejudiciais a sociedade. 

 Um estudo divulgado no mês passado, em 28 de fevereiro descobriu que a vacina COVID da Pfizer era apenas 12% eficaz contra o Omicron em crianças de 5 a 11 anos de idade. A eficácia “diminuiu rapidamente para crianças, particularmente aquelas de 5 a 11 anos”- diz o estudo.

Dra. Tracy Hoeg, epidemiologista que trabalhou em um estudo ( aqui ) comparando os riscos e benefícios, disse durante o evento que os dados recentes estão minando os argumentos a favor da vacinação de crianças.

Precisamos ter certeza de que não estamos fazendo mal, vacinando as crianças quando não sabemos se há algum benefício. Lançamos um alarme de segurança, através de um nosso artigo onde analisamos que o risco de miocardite em meninos, é maior  do que em meninas — mas também existe o risco em meninas — e em homens jovens. E mesmo os meninos saudáveis, que não foram infectados anteriormente pelo vírus, não descobrimos se havia algum benefício: na realidade tem um risco total de aplicar à eles a segunda dose. E esse é o tipo de análise que precisamos fazer rigorosamente até termos as respostas definitivas, e até termos certeza de que, no geral, não estamos fazendo mais mal do que bem, devemos ser capazes de permitir aos pais e filhos a escolha de serem vacinados ou não.” disse Hoeg.

Dr. Martin Kulldorff, Ph.D., diretor científico do Instituto Brownstone, disse aos palestrantes: “para crianças que não tiveram COVID, não sabemos até que ponto a vacina ajuda contra a morte e doenças graves“.

Kulldorff continuou : “Agora nos EUA, a onda Omicron está caindo. Agora eu acho que os benefícios de vacinar crianças são muito pequenos. Sabemos que há risco de miocardite para meninos e jovens, mas também para meninas. Pode haver outras reações adversas que ainda não sabemos. Então, para as crianças, os benefícios que conhecemos são, na melhor das hipóteses, muito pequenos e não sabemos qual é a relação risco-benefício. Acho que, nessas circunstâncias, é antiético ordenar a vacinação para crianças.

Dr. Robert Malone, especialista em tecnologia do MRNA e crítico declarado das vacinas Pfizer e Moderna COVID, foi mais categórico: “Não há justificativa para a obrigatoriedade de vacinas para crianças, ponto final.”

Malone acrescentou: “Temos a forte opinião de que, se há risco, deve haver escolha. No que nos diz respeito, não há emergência médica agora e, portanto, não há justificativa para a declaração de emergência médica e a suspensão dos direitos que ocorreram com o reprodução da emergência médica pelo Poder Executivo.”

O cirurgião-geral da Flórida, Dr. Joseph Ladapo, emitiu o anúncio oficial rompendo com as orientações do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) 

“O Departamento de Saúde da Flórida será o primeiro departamento estatal a não-recomendar oficialmente vacinas COVID-19 para crianças saudáveis”

disse Ladapo.

Pouco depois do anúncio do Dr. Ladapo, o governador da Flórida, Ron DeSantis, disse que o evento “concretizou  muitas coisas que temos observado“, incluindo “ o falimento  de não pesar custos e benefícios: os confinamentos, os fechamentos das escolas e o fato de uma criança saudável de 7 anos que tenha que receber a vacina COVID“.

Enquanto isso, o CDC continua recomendando que praticamente todas as crianças de 5 anos ou mais recebam a vacina C-19 da Pfizer e que crianças de 12 anos ou mais recebam um reforço devido à diminuição da eficácia da vacina. ( aqui )

Até agora o CDC não respondeu as perguntas dos profissionais da saúde desta roda de 90 minutos intitulada “The Curtain Close on COVID Theater”. ( A cortina se fecha no Teatro COVID”) – mas através desta entrevista franca da diretora do CDC Rochelle Walensky, podemos ter a certeza que o CDC só depositou esperanças nestas vacinas – foram otimistas demais desde o início e não irão se responsabilizar por ninguém.

Bom, você sabe, eu acho que posso dizer onde eu estava quando disse a CNN  que a vacina era 95% eficaz. Muitos de nós queríamos ter esperança, muitos de nós queríamos dizer está tudo bem. Este é o nosso ingresso para sair fora disso, certo, agora está feito . Então, eu acho que talvez tivemos pouca cautela e muito otimismo para algumas coisas boas que vieram em nosso caminho. Eu realmente quero. Acho que todos nós queremos que isso fosse feito.Ninguém disse “diminuir”, e quando esta vacina vai funcionar. Bom, talvez ela não funcione- ( risos)  o efeito irá passar. Ninguém disse e se ….. ela não for tão potente contra a próxima variante.” 

Ela continua….

Eu tenho dito frequentemente “ nós vamos liderar na ciência…. a ciência vai ser a base de tudo no que fazemos, que é o todo na verdade. Eu acho que o público ouviu que a a ciência é esperança ….que a ciência é preto e branco… A verdade é que a ciência é cinza. E a ciência nem sempre é imediata, às vezes leva meses ou anos para realmente descobrir a resposta, mas no meio de uma pandemia tivemos que tomar decisões de forma independente antes de ter essa resposta.” 

Nestes últimos dois anos, o mantra mais emanado na mídia foi: “Acredite na ciência!” Anos depois a senhora Walensky, diz que a ciência não é cientificismo e que as pessoas entenderam mal – O grande problema é que políticos, médicos (com exceções, Graças a Deus) – órgãos de saúde e a grande mídia, continuam sendo alimentados e corrompidos pela indústria farmacêutica.

Enquanto isso, as mortes aumentam de forma significativa depois que começou a roleta russa das vacinas. As evidências destas mortes existem e são reais, mas enquanto a “máfia” continuar usando da manipulação, do silêncio, da dissimulação e do sarcasmo, milhares de pessoas continuarão morrendo – GRAÇAS A VACINA! 

Gostou do conteúdo? Compartilhe:

3 comentários em “FLÓRIDA: será o primeiro estado a contraindicar a vacina anti-Covid19 para crianças saudáveis”

  1. Caros, buscarei aqui mostrar que NUNCA a mérdicina esteve a favor do ser desde o sécuro retrasado, o dejeto pasteur foi uma ponta de lança para o emplacar das FARMÁFIAS, e essas têm uma única meta, a degeneração humana para garantir as promessas bíblicas do velho testamento, apenas isso, mais nada.
    Para que possam ter mais base para entenderem o que afirmo sugiro a obra sensacional de Enric Costa
    la-falsa-teori-a-de-la-infeccion-con-enric-costa
    Esse material se encontra dentro do Archive.
    Com esse material entenderão que a venalidade mérdica, da oms, das farmáfias e coadjuvantes é muito mais sinistra e que só a pena capital para TODOS os envolvidos em plandemias, lockdown e vaticinantes vacinas será pouco para o que esses lixos merecem!
    Agradeço a atenção
    Obrigado!

Deixe um comentário para César Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *