Pular para o conteúdo

Dr. Andrea Stramezzi: O médico italiano que desde o início da pandemia, incentivou outros médicos a irem à casa dos pacientes para tratá-los

Karina Michelin

Karina Michelin

A Itália foi o primeiro país atingido pelo Covid-19 no Ocidente. Com a primeira onda devastadora do vírus em fevereiro de 2020, muitos médicos foram pegos de surpresa, as informações que chegavam até eles eram confusas e muitos deles foram impedidos de visitarem os seus pacientes que estavam doentes, dificultando o exercício de clinica médica.

Diante de tantos erros e omissões, principalmente pelos protocolos de tratamento impostos pelo Ministério da saúde italiano, muitas pessoas perderam suas vidas. Sendo assim, médicos resolveram se arriscar e ir para a luta contra o Covid-19 através do tratamento domiciliar, evitando que as pessoas chegassem aos hospitais. Muitos médicos de forma corajosa enfrentaram as diretrizes do governo ( paracetamol, dipirona e espera vigilante) e atuaram no campo médico científico através de suas experiencias e consciência, salvando milhares de vidas.

O Doutor e professor Andrea Stramezzi não se cansa de dizer que, “ desde os primeiros sintomas as pessoas tem que ser tratadas de forma tempestiva e adequada, se assim for ninguém irá morrer e a pandemia irá acabar.

Dr. Stramezzi foi um dos primeiros médicos da linha de frente na luta contra o Covid-19 com o tratamento domiciliar, ele que é dentista, deixou de lado o seu consultório e foi responder a chamada da ordem dos médicos, colocando-se a disposição de qualquer paciente. Através de sua experiência entendeu a doença causada pelo vírus e tratou mais de 1450 pacientes, obtendo somente 3 mortes. Infelizmente os 3 pacientes chegaram até ele em um estado muito avançado e não tiveram a chance de serem salvos. 

Dr. Andrea assim como tantos outros médicos foi perseguido, ridicularizado e teve seu rosto estampado em vários sites de noticias tendenciosas, tendo sua reputação manchada. Mesmo diante a tantos obstáculos, ele não parou nem mesmo por um minuto, continuou sua batalha de cabeça erguida e organizou um dos maiores encontros de médicos sobre o COVID -19 em Roma, trazendo médicos e cientistas renomados de todo o mundo, dados, informações e o mais importante-  relatos de pacientes que sobreviveram a esta doença com o tratamento adequado, barato e imediato. 

“Devemos retomar nossa liberdade. Ninguém virá nos salvar, não tem um governo como durante a Segunda Guerra Mundial ou um exército aliado que vem para nos salvar e nos liberar do nazismo. Hoje devemos nos salvar sozinhos, nós, os cidadãos.”

Dr. andrea Stramezzi

Em uma entrevista exclusiva ele conta a sua batalha e o seu mais novo projeto, capaz de revolucionar a telemedicina e salvar ainda mais pessoas ao redor do mundo. 

www.covidhealer.org

Gostou do conteúdo? Compartilhe:

7 comentários em “Dr. Andrea Stramezzi: O médico italiano que desde o início da pandemia, incentivou outros médicos a irem à casa dos pacientes para tratá-los”

  1. Armando Cantarelli Alves

    Por gentileza coloque o nome do APP do Dr.Stramezi,gostaria de baixá-lo mas não consegui entender o nome correto do APP. Muito grato.

    1. Dr. Andrés bon giorno, eu sou italiana e moro em São Paulo. Por gentileza estou precisando visitar minhas netas no Natal nos Estados Unidos. Eu tenho 4 anos de câncer de mama, e tenho 76 anos de idade. Preciso um laudo para não precisar do passaporte por que sou contra tomar essas vacinas. Eu tive corona vírus junho de 2020 muito leve. Tenho um exame de sangue que atesta uma alteração por vírus, mas não especifica. O Sr. Pode me ajudar??Eu agradeço profundamente. Aguardo suas notícias. Um abraço.
      Meu email. Coraliawalter@gmail.com

    2. Senhores hoje a luta não é contra o “Nazismo”, a luta é contra o Judaísmo que está destruindo o mundo.Muito antes de Hitler eles já destruíam Nações e nada foi feito. Agora a guerra é biológica!
      O pior é que todos estão aceitando passivamente.

Deixe um comentário para PRISCILLA FERREIRA JUNQUEIRA Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *